Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017
28/07/2009

Notícias Anteriores

Jornal O Povo Online
28 Jul 2009 - 23h00min

Alfândega flagra carga irregular no avião da TAF
Avião cargueiro da TAF Linhas Aéreas ainda não autorizado a transportar foi pego com 17 volumes de mercadorias diversas. Entre elas, um quadriciclo e um cortador de grama elétrico. O crime assumido pelo engenheiro do voo tem como penalidade a perda dos produtos

A Alfândega da Receita Federal no Aeroporto Internacional Pinto Martins flagrou um crime de descaminho - a entrada no País de mercadoria permitida mas sem os devidos recolhimentos tributários - em um avião cargueiro adquirido pela TAF Linhas Aéreas. A aeronave, que ainda não estava autorizada a transportar, trazia 17 volumes de mercadorias diversas. Entre elas: um quadriciclo, três carrinhos de bebê, um cortador de grama elétrico, cremes, perfumes e relógios.

Segundo o inspetor substituto da Alfândega, Iran de Souza Pinheiro, foi lavrado um auto de infração de perdimento porque a penalidade nesses casos é a perda total dos produtos. Ele destaca que, além de não ter os impostos recolhidos, eles entraram em meio de transporte indevido já que o avião ainda se encontra em processo de admissão temporária pois foi adquirido numa operação de leasing - contrato denominado na legislação brasileira como "arrendamento mercantil". Antes disso, não poderia operar. Adiantou que o engenheiro que acompanhava o voo informou que a mercadoria foi trazida por ele não tendo nada a ver com a empresa.

O diretor da TAF, Ariston Pessoa Filho, negou que o avião tenha sido apreendido. Informou que a aeronave adquirida nos Estados Unidos chegou em Fortaleza na última sexta-feira à tarde e passa pelo processo normal de desembaraço. Adianta que em toda importação a aeronave é vistoriada, bem como a documentação e os contratos até ser nacionalizada. Explica que depois disso a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) também fará vistoria e só então o avião fica autorizado a operar.

Voos

Desde março deste ano a TAF não opera mais com o transporte de passageiros, segundo Ariston Filho, por uma decisão estratégica da empresa. Ele explica que só uma aeronave, em parceria com a Air Caraibes, faz o voo regular de Belém (PA) a Guiana Francesa. Antes esse voo partia de Fortaleza. Hoje a TAF conta com cinco aviões 727-200 e um 737 com 155 lugares. Os cargueiros, com capacidade para transportar 25 toneladas, tem voos diários de carga que incluem os trechos Fortaleza/Salvador/São Paulo/Belo-Horizonte e Belo-Horizonte/Salvador/Fortaleza. Também opera Brasília-São Paulo. A ideia da companhia com a aquisição de mais um avião é fortalecer o mercado de cargas.

 

 

Site Última Instância
28/07/2009 - 19h09

Procuradoria quer que TAM troque sensor de velocidade de aviões da Airbus
William Maia

A Procuradoria Regional da República da 3ª Região quer que a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) obrigue a TAM e outras companhias aéreas que operem com modelos Airbus a substituir os sensores de velocidade das aeronaves.

Uma falha no sensor, chamado tubo “pitot”, é apontada como uma das prováveis causas do acidente com o Airbus A330 da Air France, que caiu no oceano no 1º de junho, quando fazia a rota Rio de Janeiro-Paris. Todos os 228 ocupantes do avião morreram.

Na manifestação (veja a íntegra aqui) entregue à presidente da Anac, Solange Vieira, o procurador Sérgio Monteiro Medeiros pede que a agência informe se já houve fiscalização para comprovar a troca do equipamento e lembra que a própria Air France, depois de uma mobilização de seus pilotos, anunciou “a substituição das peças como medida para prevenir novos desastres”.

Procurada pela reportagem de Última Instância, a Anac disse, por meio de sua assessoria, que ainda não foi notificada sobre a recomendação. Mas informou, no entanto, que a TAM já havia substituído os sensores antes do acidente do voo 447 e que essa é a única companhia que opera com modelos Airbus no país. A assessoria da TAM confirmou que já executou a troca em toda a frota em operação.

A reportagem buscou esclarecer a informação, mas a Procuradoria, devido ao horário, não tinha quem explicasse o motivo da recomendação.

Sérgio Medeiros quer que a agência reguladora estabeleça prazos para que a companhia realize a operação de troca, além de dar "conhecimento à opinião pública, em homenagem aos princípios da publicidade e da eficiência", informando tudo o que for feito e os resultados obtidos.

"Não se trata de medida açodada, é claro, pois o transporte aéreo, ainda que reputado o mais seguro do mundo (…) vem sofrendo graves turbulências em sua reconhecida credibilidade”, prossegue Medeiros, acrescentando que “todo investimento em segurança é mais do que justificado, exigível", observa o procurador.

 

 

O Globo Online
28/07/2009 às 17h13m

Incidente envolve avião A320 equipado com as novas sondas Pitot
Reuters/Brasil Online

PARIS (Reuters) - Um novo incidente ligado às sondas Pitot de um avião Airbus A320 da Air France ocorreu em julho, informaram na quarta-feira um sindicato de pilotos e a empresa.

O Sindicato Nacional de Pilotos de Linha (SNPL) pensa em exigir que a empresa mude de fornecedor das sondas que medem a velocidade.

O incidente ocorreu em 13 de julho num vôo entre Roma e o aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, disse à Reuters Erick Derivry, porta-voz do SNPL, confirmando informação divulgada pelo site Figaro.fr.

As sondas Pitot fabricadas pela empresa Thalès, usadas para medir a velocidade do avião, são uma das causas aventadas para explicar o acidente do vôo AF 447, que fazia a rota entre Rio de Janeiro e Paris que causou a morte de 228 pessoas em 31 de maio.

Trata-se do primeiro incidente do qual se tem conhecimento envolvendo a nova geração de sondas BA, que após o acidente substituiu as sondas AA em toda a frota da empresa, segundo informou a Air France.

"O incidente está ligado às novas sondas. Durou alguns segundos, sem ter qualquer consequência para os passageiros. Uma análise está sendo feita em conjunto com os construtores e o BEA (órgão francês responsável pela investigação de acidentes aéreos)", disse um porta-voz.

Os pilotos do vôo Roma-Paris anotaram em seu relatório "uma perda brutal de indicações de velocidade, e depois o desaparecimento dos dados anemométricos."

"Pedimos à Air France que investigue para confirmar se estamos diante do mesmo tipo de incidente, que produziu os mesmos efeitos que outros incidentes conhecidos desde meados de 2008", disse Derivry.

"Seria uma informação nova e importante. Desde já, exigiríamos a substituição das sondas Thalès por sondas Goodrich, em nome do princípio da precaução", ele acrescentou.

A empresa americana Goodrich fornece 70 por cento das empresas aéreas do mundo, e suas sondas nunca apresentaram o menor problema.

"Ouvimos falar na possibilidade de que, além da sonda, talvez seja preciso também trocar o calculador que transforma a pressão em medida de velocidade", acrescentou o porta-voz do SNPL.

Em junho, sob pressão do sindicato minoritário Alter, a Air France teve que trocar todas as sondas Pitot de suas aeronaves A330 e A340, depois de já ter efetuado a troca nos aviões A320.

Desde 2008 foram constatados vários casos de congelamento de sondas AA em alta altitude, em aviões de diferentes empresas. O SNPL informou que o vôo Roma-Paris ainda se encontrava em alta altitude no momento do incidente.

 

 

Coluna Claudio Humberto
28/07/2009

Embraer, a 'brasileira'

A Embraer, que demitiu quatro mil brasileiros de uma tacada e depois obteve bilionário empréstimo do BNDES, constrói fábrica em Portugal de R$500 milhões para gerar 1.570 empregos, diretos e indiretos.

 

 

Coluna Claudio Humberto
28/07/2009

Boca-livre aérea

O governo Lula alterou o decreto que regulamenta o transporte aéreo de autoridades. Agora, permite que optem por despesas pagas pelo órgão em que trabalham, ao invés de recorrer aos antiquados aviões da FAB.

 

 

O Estado de São Paulo
28/07/2009

TAM perde 2% sem os slots da Pantanal
AÇÃO DO DIA

TAM PN caiu 2,09%, em razão da notícia de que a Anac deverá distribuir 15 slots que pertenciam à Pantanal, indo contra a expectativa de que a TAM assumisse os slots em razão de créditos que mantém com a companhia.

 

 

O Estado de São Paulo
28/07/2009

Congonhas vai restaurar piso, cúpula e pilares do saguão
Obras, ainda sem data para começar, vão focar arquitetura do aeroporto, que é dos anos 50
Bruno Tavares e Vitor Hugo Brandalise

Uma equipe de engenheiros e arquitetos começa no próximo mês a planejar uma ampla reforma no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. Ao contrário da última grande intervenção, que entre 2004 e 2007 remodelou por completo o terminal de passageiros e ampliou as vagas de estacionamento para veículos, desta vez o foco será o patrimônio arquitetônico de Congonhas. As obras devem se concentrar no restauro do saguão principal, espécie de "sala de estar" do aeroporto inaugurado na década de 1930.

"Nossa ideia é promover uma harmonização entre cafés, restaurantes e as demais áreas de serviço do aeroporto com sua arquitetura original. Com a configuração atual, ela está ofuscada", disse João Márcio Jordão, diretor de Operações da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), estatal federal que administra 67 principais aeroportos do País.

O diretor tranquiliza quem considera lojas, cafés e restaurantes fundamentais no aeroporto. "Temos o objetivo de resgatar o glamour de Congonhas e, ao mesmo tempo, oferecer mais conforto aos passageiros. Os serviços existentes não só permanecerão como serão até mesmo aprimorados."

O projeto inicial prevê o restauro da cúpula, do piso de cerâmica xadrez e dos pilares revestidos de pastilhas espalhados pelo saguão principal. "Queremos, de alguma forma, valorizar esses elementos tão importantes para a história do aeroporto", destacou Jordão.

Após a análise dos técnicos, a estatal deve lançar edital para a contratação de uma empresa especializada nesse tipo de reforma. "Essa intervenção requer um contrato diferente do que estamos acostumados. Esse trabalho não deve ser executado por empreiteiras. Isso é coisa para restauradores."

As obras devem contemplar ainda a expansão dos balcões de check-in das companhias. Com a chegada de novas empresas e o crescimento natural do mercado, eles já são insuficientes para absorver a demanda. Os planos iniciais são de avançar em direção ao Salão de Autoridades, a área reservada de embarque e desembarque que fica de frente para a Avenida Washington Luís. Os trabalhos ainda não têm data para começar, mas a Infraero adianta que pretende concluí-los para a Copa do Mundo de 2014.

MODIFICAÇÕES

Embora inaugurado oficialmente em abril de 1936, a estrutura atual do Aeroporto de Congonhas é resultado de construções executadas ao longo dos anos 1950, seguindo projeto elaborado pelo arquiteto Hernani do Val Penteado.

Maior alvo de modificações, o Terminal de Passageiros, inaugurado em 1955, sofreu ao menos quatro grandes intervenções no projeto original, todas ligadas à ampliação da oferta de serviços aos usuários e de adequação da infraestrutura do terminal.

As principais intervenções ocorreram em 1959, quando foi inaugurada a ala internacional do aeroporto (que funcionou até 1985); em 1981, quando a Infraero se tornou responsável pelo aeroporto; e, em 1990, quando o então Departamento de Aviação Civil (DAC) autorizou o pouso de jatos no aeroporto, aumentando o número de operações. Foi, a partir do início dos anos 1990, aliás, que lojas e caixas bancários passaram a tomar o lugar dos bancos, cadeiras e mesas do saguão.

Ainda assim, segundo o Departamento do Patrimônio Histórico (DPH), elementos internos - como pisos e revestimentos - e as escadas curvas com corrimãos de metal ainda mantêm características originais, "embora encobertos em muitos pontos".

Para a historiadora Giselle Beiguelman, autora do livro No Ar: 60 Anos do Aeroporto de Congonhas, a Infraero deveria tentar, com a reforma, recuperar parte da aura de "espaço de convívio" do aeroporto, adquirida nas décadas de 1950 e 1960. "Há mais espaço para publicidade e estandes do que mesas, cadeiras e bancos que possibilitem circulação e acomodação dos passageiros", avalia. "Áreas comerciais são necessárias, mas uma boa ideia seria tentar dar aos passageiros um pouco mais do que lojas e lanchonetes. Deve-se proporcionar conforto."

 

 

O Estado de São Paulo
28/07/2009

Exército deve assumir obras em Cumbica
Bruno Tavares

A Infraero deve assinar ainda nesta semana um acordo para que homens do Exército concluam as obras de ampliação e reforma do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Capitaneados pela Construtora Queiroz Galvão, os trabalhos estão parados desde o ano passado, por causa de divergências entre os valores aplicados no contrato e um levantamento feito pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

"Como não foi possível dar continuidade com as empreiteiras, decidimos acionar o Exército", disse o brigadeiro Cleonilson Nicácio da Silva, que preside a Infraero até o fim desta semana. Segundo ele, os termos do acordo já foram tratados, restando apenas alguns detalhes. O presidente da estatal preferiu não fixar um prazo para a conclusão dos trabalhos no pátio remoto de estacionamento de aeronaves e no sistema de pistas, mas adiantou que haverá uma data para a entrega da obra.

 

 

Mercado e Eventos
28/07/2009

Webjet lança novos voos do Rio para Belo Horizonte

A Webjet Linhas Aéreas amplia, a partir da próxima segunda-feira (03/08), a oferta de voos operados no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Quatro novas frequências para Belo Horizonte (Confins) sairão do aeroporto do Centro, totalizando 28 operações e conectando o Rio a cinco as cidades: Brasília, Curitiba, São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte.

Os voos saem do aeroporto de Confins às 6h15, 9h40, 15h20 e 19h10, retornando do aeroporto Santos Dumont, no Rio, às 7h58, 13h25, 16h58 e 20h52. Os bilhetes já estão à venda, e a tarifa promocional para o trajeto, operado em Boeings 737-300, custa a partir de R$ 122, por trecho, sem taxas. As operações para a capital mineira a partir do aeroporto do Galeão continuam mantidas.

Informações: 0300 21 01234 / www.webjet.com.br.s


Página Principal