Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quarta-Feira, 26 de Abril de 2017

28/03/2010

Notícias Anteriores

Site DN Economia - Portugal
28/03/2010

Nova greve ameaça realização de voos da TAP

Os oficiais de operações de voo da TAP iniciaram hoje uma greve de cinco dias, exigindo um acordo de empresas específico e garantias de manutenção de emprego, com o sindicato do sector a prever perturbações nos voos da companhia.

"Não acredito que hoje [haja voos cancelados], mas nos próximos dias é natural que aconteça", disse a vice-presidente do Sindicato Nacional dos Oficiais de Operações de Voo (SINOOV), Paula Miguel, em declarações à agência Lusa.

Fonte oficial da TAP disse à agência Lusa que a administração da companhia não prevê perturbações de tráfego em consequência da greve.

"A situação está normalizada e vai manter-se assim nos próximos dias", disse a fonte oficial da transportadora.

Paula Miguel queixou-se que os oficiais de operações de voo, responsáveis pela elaboração dos planos de voo dos aviões da transportadora, não foram ouvidos nas novas opções para a companhia e insiste na necessidade de chamar o sindicato às negociações.

"Entregámos à TAP uma proposta de acordo de empresa e, até ao momento, não fomos chamados para iniciar negociações. Para além, disso, também há um projecto de reestruturação da empresa, que poderá implicar a redução de postos de trabalho e nós queremos ser incluídos nesta discussão", afirmou Paula Miguel.

"Não recebemos qualquer atenção. Entregámos a proposta, fizemos várias tentativas de contacto com a TAP, para iniciar as negociações, e até ao momento não obtivemos resposta. Um Acordo de Empresa específico é um direito previsto na lei", acrescentou.

A TAP tem 30 oficiais de operações de voo, dos quais quatro são funcionários com contratos a prazo.

Paula Miguel disse ainda que a TAP prescindiu dos serviços mínimos e assegurou o planeamento de voos com os quatro contratados a prazo e com os quadros directivos do departamento de operações.

"Hoje não sei se haverá cancelamentos ou atrasos, porque ontem [sábado] os eventuais que estiveram de serviço estiveram a fazer voos para hoje, o que não nos parece muito razoável", afirmou.

"Para hoje não sei se haverá alguma consequência, julgo que nos próximos dias haverá", alertou Paula Miguel.

 

 

Site InfoPlantão
28/03/2010

Câmara rejeita lei que previa fone em avião

SÃO PAULO - A Câmara dos Deputados rejeitou uma proposta de lei que tornaria obrigatória a instalação de telefones nos aviões para uso dos passageiros durante as escalas em terra.

Segundo a proposta original do deputado Davi Alves Silva Júnior (PR-MA), os telefones deveriam ser instalados nas aeronaves próximos aos bancos dos passageiros, para uso exclusivamente durante escalas em terra, a fim de que os usuários possam falar com suas famílias e contatos profissionais em caso de atrasos.

A comissão de deputados que analisou o projeto, no entanto, entendeu que a ideia é desnecessária e só aumentaria os custos das empresas aéreas.

Se for para liberar o telefone durante as escalas, é melhor simplesmente permitir que os passageiros usem seus celulares nesses momentos, como já ocorre em muitos casos.

 

 

G1 - O Globo
28/03/2010

Sindicato da tripulação de BA ameaça com mais greves

Londres, 28 mar (EFE).- O sindicato que representa a tripulação de cabine da companhia aérea British Airways (BA) ameaçou hoje a convocação de mais greves a menos que se consiga superar a atual disputa pelas mudanças nas condições de trabalho.

Os trabalhadores de cabine da BA, que no fim de semana passado foram também à greve, apoiam hoje a segunda jornada de parada brusca de quatro dias, mas podem tomar mais medidas de força depois da Páscoa se não houver progressos para pôr fim aos desacordos com a direção, informou hoje o sindicato Unite.

No entanto, o Unite assegurou que não haverá mais greves até depois do dia 14 de abril.

Segundo o sindicato, os passageiros de seis voos que deviam partir ontem do aeroporto londrino de Heathrow tiveram que descer de seus aviões porque não havia tripulação de cabine.

A companhia aérea cancelou hoje 131 voos que tinham que sair de Heathrow, três de Manchester e cinco de Glasgow (Escócia), mas os correspondentes ao aeroporto londrino de Gatwick não foram afetados pela medida de força, segundo a BA. EFE

Página Principal