Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quarta-Feira, 26 de Abril de 2017

27/06/2009

Notícias Anteriores

O Estado de São Paulo
27/06/2009

EUA investigam possível falha em voo da TAM
Andrei Netto

As evidências de que os sensores de velocidade - os tubos de pitot - que equipam os aviões Airbus apresentam falhas técnicas recorrentes voltaram a crescer. O Conselho Nacional de Segurança em Transporte (NTSB) dos Estados Unidos anunciou em nota oficial que investigará se os equipamentos - suspeitos de terem causado a queda do voo 447 da Air France - estão na origem de dois incidentes aéreos, um dos quais com um avião da TAM, registrados em maio e junho.

O informe foi publicado pelo NTSB anteontem, em Washington. Segundo a nota, o conselho "está investigando dois incidentes recentes nos quais as indicações de velocidade e de altitude em aviões Airbus A330 podem ter sofrido disfunção". O texto dá detalhes do primeiro dos incidentes, que tem relação com o Brasil: trata-se do voo TAM 8091 que realizava a rota Miami-São Paulo em 21 de maio. De acordo com a versão divulgada pela companhia aérea, o avião atravessou uma região de forte turbulência e sofreu perda brusca de altitude. Os cinco minutos de violenta instabilidade deixaram um saldo de 22 feridos.

Na sequência, um inquérito havia sido aberto pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), no Brasil, para apurar as causas do incidente. A nota do NTSB, contudo, jogou nova luz sobre o caso. "O TAM A330 que deixou Miami para São Paulo perdeu o Air Data Reference (ADR). Em consequência, a tripulação verificou a desconexão do piloto automático e do autothrust (equipamento que controla o fluxo de combustível para as turbinas), ocasionando perda de informações de velocidade e de altitude", diz o texto.

Um caso similar aconteceu na terça-feira, com um avião Airbus A330 da companhia Northwest Airlines que realizava a rota Hong Kong-Tóquio. "Informações das caixas-pretas, das mensagens (automáticas) Aircraft Communications Adressing and Reporting System (Acars), declarações da tripulação e condições meteorológicas estão sendo coletadas pelos investigadores do NTSB", afirma a nota oficial.

MENSAGEM ELETRÔNICA

Os peritos do conselho até o momento não estipularam relações entre os incidentes e as suspeitas de falhas técnicas que pairam sobre o Airbus A330 que realizava a rota Rio-Paris em 31 de maio. Mas o conteúdo das mensagens eletrônicas enviadas pelos aviões da TAM e da Air France indicam panes semelhantes - que ampliam as dúvidas sobre a eficiência dos sensores de velocidade dos Airbus. Conforme Paul-Louis Arslanian, diretor do Escritório de Investigações e Análises para a Aviação Civil (BEA), o escritório francês que apura as causas do desastre, o avião apresentou "incoerência no aferimento de velocidade", uma pane causada pelos tubos de pitot.

 

 

O Estado de São Paulo
27/06/2009

Brasil colabora em investigação sobre sensor de velocidade em A330
Erros nesse equipamento se multiplicaram nos modelos da Airbus e estão na origem da tragédia no Atlântico
Bruno Tavares

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão ligado ao comando da Aeronáutica, vai auxiliar o Conselho Nacional de Segurança em Transporte (NTSB, na sigla em inglês) na apuração envolvendo os tubos de pitot (sensores de velocidade) instalados nos aviões da Airbus. Os militares brasileiros foram contatados anteontem e concordaram em repassar informações e cooperar com os trabalhos. Nos próximos dias, o Cenipa já deve designar um oficial para atuar como "representante acreditado", conforme prevê o Anexo 13 da Organização de Aviação Civil Internacional (Icao, na sigla em inglês).

O incidente com o Airbus A330 da TAM em 21 de maio, agora investigado pelos peritos do NTSB, é muito similar ao que ocorreu com o jato da Air France na noite de 31 de maio. Nos dois casos, houve perda repentina dos dados de altitude e velocidade, seguido de falhas no Air Data Inertial Reference System (Adiru). A diferença, aparentemente, é que os tripulantes brasileiros conseguiram contornar a situação utilizando os sistemas reservas.

As sondas pitot - há três instaladas nos modelos A330 - são importantes por serem as provedoras de informações que norteiam o funcionamento dos computadores centrais do jato. Nos últimos 12 meses, o número de falhas desse equipamento se multiplicou nos modelos da Airbus, o que levou a fabricante francesa a recomendar a substituição das peças nos jatos A320. Desde o acidente com o voo 447, a Air France - além de companhias aéreas de todo o mundo, como a TAM - acelerou a substituição dos tubos de pitot em suas frotas.

Os problemas mais recorrentes, segundo notas técnicas expedidas pela própria Airbus, eram de congelamento e obstrução do canal que capta os dados em voo e transmite aos computadores. A leitura incorreta dessas informações acaba "enlouquecendo" os sofisticados sistemas informatizados do jato, o que desencadeia uma série de reações, como o desligamento do piloto e do acelerador automáticos. Boa parte dessas respostas foi verificada na tragédia do voo 447, conforme a sequencia de 24 mensagens automáticas transmitidas pelo avião ao departamento de manutenção da companhia aérea naquela noite.

O que os investigadores franceses tentam descobrir agora é por que uma eventual pane nas sondas teve um efeito tão devastador, provocando a queda no Atlântico. Tanto assim que, nos demais incidentes conhecidos, nenhuma das aeronaves caiu. "É perfeitamente possível enfrentar uma situação dessas (de pane nas sondas pitot e, por consequência, nos computadores)", disse uma fonte familiarizada com os modelos da Airbus. "Todas as tripulações são treinadas para lidar com isso."

 

 

Zero Hora
27 de junho de 2009

Buscas do A330 estão encerradas
Decisão foi tomada por dificuldade de encontrar mais corpos e destroços

A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Marinha suspenderam, ontem à noite, as operações de busca por corpos de vítimas da tragédia com o voo 447 da Air France, que caiu no Oceano Atlântico em 31 de maio, quando fazia o trajeto Rio-Paris.

Nos 26 dias de trabalho foram localizados e resgatados 51 corpos, de um total de 228 pessoas que haviam embarcado no Airbus A330. Além dos 51 corpos resgatados, foram recuperadas mais de 600 partes e componentes da aeronave, além de bagagens dos ocupantes do avião.

De acordo com o comunicado da Aeronáutica e da Marinha, a razão técnica que motivou o encerramento das buscas é a baixa probabilidade, decorridos 26 dias do acidente, de se avistarem sobreviventes ou corpos.

– É a impossibilidade de se encontrar corpos ou destroços na área que levou à suspensão das buscas, embora desde o início trabalhamos com o objetivo de localizar os 228 ocupantes – afirmou o tenente-coronel Henry Munhoz, porta-voz da Aeronáutica.

Desde 17 de junho, nenhum corpo era localizado, sendo que entre os dias 12 e 15 apenas dois corpos foram resgatados do mar.

Em 26 dias de operação contínua de buscas sob a responsabilidade do Brasil, a Força Aérea Brasileira utilizou 12 aeronaves e contou com o apoio de aviões da França, dos EUA e da Espanha.

Apesar do encerramento das operações brasileiras, os oficiais da França ainda vão manter as buscas pela caixa-preta da aeronave, que ainda não foi localizada. As investigações sobre as causas do acidente estão sob a responsabilidade das autoridades francesas.

 

 

Mercado e Eventos
27/06/2009

OceanAir coloca 25 trechos a preços promocionais, a partir de R$ 79 neste final de semana

Quem estiver com viagem com embarque previsto para até a próxima terça-feira (30/06) deve conferir a lista da PromOcean, promoção especial da OceanAir para compras durante este final de semana. São 25 trechos, entre eles São Paulo-Florianópolis, com saída de Guarulhos por R$ 142 (também para o sentido inverso), ou ainda São Paulo – Porto Alegre por R$ 125 (preço válido também para Porto Alegre-São Paulo).

Já por R$ 79, é possível voar pela OceanAir de Curitiba para Porto Alegre (tarifa válida também para o sentido inverso) e por R$ 93, de Belo Horizonte (Confins) para o Rio (Santos Dumont).

A passagem deve ser reservada até domingo (28/06), com embarque até 30 de junho próximo. Para conferir a lista completa, visite o site da companhia, www.oceanair.com.br, ou informe-se pela central de reservas 4004-4040.

 

 

Site Brasilturis
26/07/2009

LAN reafirma interesse de entrada no Brasil26/06/2009« Ir para a lista de matérias

O presidente da companhia chilena, Jorge Awad, reafirmou desde Washington, onde acompanha a presidente Michele Bachelet em sua viagem – que a LAN segue crescendo em seu interesse de entrar no Brasil. Confirmou também que, através do embaixador brasileiro em Santiago, solicitou uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para formular oficialmente este interesse. Lula estará em setembro no Chile.

Uma das solicitações de Award será no sentido de liberação para vôos entre a capital chilena e destinos da Europa com escala no Rio de Janeiro, onde a LAN poderia aumentar o seu fluxo de passageiros.

A decisão de acelerar gestões para entrar no mercado do Brasil – o que esteve por acontecer quando da quase aquisição da Varig – foi determinada pelas possibilidades em curso no Congresso Nacional, alterando a possível participação de empresas estrangeiras em aéreas brasileiras. Limitada a 20%, poderá passar a 49% dentro da reformulação em estudos.

O grupo da LAN – controlado pela família Cueto e o empresário Sebastián Pinera – já iniciou sua incursão no Brasil com participação na empresa ABSA, de carga aérea.

Página Principal