Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Sábado, 23 de Setembro de 2017
25/02/2009
Notícias Anteriores

Estadão
25/02/2009 - 07:19hs

Avião turco cai em Amsterdã com 135 a bordo; 9 morrem
Aeronave se partiu em três durante choque na aterrissagem; oficiais afirmam que 50 ficaram feridos na queda

Foto: Reuters

AMSTERDÃ - Um avião da companhia Turkish Airlines com 135 a bordo caiu ao tentar aterrissar no aeroporto internacional de Schiphol, o mais importante da Holanda. O prefeito de Haarlemmermeer, Michel Bezuijen, confirmou que nove pessoas morreram e outras 50 foram feridas - 25 delas com gravidade -, embora a empresa e o governo turco tenham dito mais cedo que ninguém teria morrido no incidente. A aeronave, que se partiu em três após o choque, trata-se de um Boeing 737 que seguia de Istambul, na Turquia, para Amsterdã, na Holanda.

As causas do acidente ainda são desconhecidas, mas a imprensa local afirma que os motores do avião pararam pouco antes da aterrissagem, e com isso o aparelho perdeu velocidade e caiu no campo vizinho à pista. Na hora do acidente, havia uma névoa leve e ventava. O aeroporto fica a cerca de 20 quilômetros de Amsterdã e a aeronave teria caído por volta das 6h30 (hora de Brasília) em um terreno próximo da pista de pouso, perdendo um motor, uma asa e a cauda, a cerca de dois quilômetros da pista do aeroporto. Win Kok, porta-voz do escritório de coordenação antiterror da Holanda, afirmou que aparentemente não houve ação de terrorismo no acidente. Imagens de TV não mostraram vestígios de incêndio após a colisão.

Oficiais do aeroporto confirmaram que a aeronave levava 128 passageiros e sete tripulantes. O embaixador da Turquia na Holanda, Selahattin Alpar, afirmou que 72 turcos e 32 holandeses estavam na aeronave. Não há informações sobre a nacionalidade dos outros passageiros.

O diretor-geral da companhia, Temel Kotil, afirmou que "do ponto de vista técnico, não podemos dizer que tenha caído. Foi uma aterrissagem forçada e o piloto manobrou muito habilmente... Estamos felizes de dizer que ninguém morreu no acidente. O piloto Hassan Tahsin Ari tem muita experiência".

No momento do acidente, não houve chamas e, segundo declarações de pessoas que viram aterrissar o avião, este perdeu velocidade ao se aproximar da pista. O tráfego aéreo no aeroporto internacional de Schiphol permanece temporariamente suspenso em consequência do acidente. As imagens de televisão mostraram ambulâncias e macas junto aos destroços do aparelho. As autoridades fecharam uma estrada que fica perto do lugar do acidente, ao norte do aeroporto. O Schiphol é o quinto maior aeroporto da Europa.

O sobrevivente Huseyin Sumer disse à rede CNN Turk por telefone: "O avião partiu em três pedaços. Nós estamos ligando para as pessoas para dizer que a situação não é muito grave, mas pode haver mortos na parte frontal do avião". Outro passageiro disse para a emissora NTV que o avião perdeu altitude de repente enquanto se preparava para aterrissar, e que a parte de trás do equipamento atingiu o solo primeiro. "Nós estávamos em uma altitude de 600 metros quando ouvimos o anúncio de que iríamos aterrissar", afirmou Kerem Uzel. "De repente, descemos uma grande distância enquanto o avião passava por uma turbulência. A cauda da aeronave atingiu o solo". Outro sobrevivente afirmou que o avião estava fazendo um pouso normal, até que perdeu o controle e se chocou contra o solo. Segundo ele, isso acontecem entre três e cinco segundos.

Folha Online
25/02/2009 - 12:03hs

Governo turco diz que foi "milagre" avião não ter explodido; lama pode ter ajudado
Colaboração para a Folha Online
da Associated Press

O ministro dos Transportes, Binali Yildirim, disse nesta quarta-feira ter ocorrido um "milagre" na queda de um avião próximo ao aeroporto de Amsterdã, na Holanda. Ao menos nove pessoas morreram e 50 ficaram feridas.

A aeronave, um Boeing 737-800, se partiu em três e perdeu um motor, uma asa e a cauda, a cerca de 100 metros de uma estrada. A aeronave tentava pousar no aeroporto, quando perdeu altitude e caiu. O aeroporto está fechado.

"Foi um milagre o que aconteceu. O fato do avião ter caído, se despedaçado em três partes e não ter explodido, ajudou que o número de mortos não fosse ainda maior", afirmou Yildirim.

O sobrevivente Huseyin Sumer disse à TV turca NTV que ouviu um barulho na fuselagem. "Nós não estávamos entendendo o que estava acontecendo. Alguns passageiros começaram a gritar e tudo aconteceu muito rápido, em no máximo 10 segundos", afirmou.

De acordo com especialistas, o fato do avião ter caído em uma superfície coberta com lama ajudou na absorção do impacto da queda. Analistas afirmam que a lama pode ter ajudado a evitar a explosão dos tanques de combustível.

Horas após o acidente, equipes de resgate ainda se mantém alertas quanto a possibilidade de um incêndio. O embaixador da Turquia na Holanda, Selahattin Alpar, disse à agência Anatolia que 72 turcos e 32 holandeses estavam a bordo.

Gideon Evers, porta-voz da Ifalpa (Federação Internacional de Associações de Pilotos de Linhas Aéreas, na sigla em inglês), afirmou que as causas do acidente ainda não podem ser determinadas. "Aparentemente não dá para saber o que aconteceu. Temos que aguardar o resultado das investigações do acidente", disse.

O governo da Holanda afirmou que também irá abrir investigação. O coordenador da equipe antiterrorismo, Wim Koj, descartou a possibilidade de ter ocorrido um ataque.

Página Principal