Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Sexta-Feira, 28 de Abril de 2017
24/07/2009

Notícias Anteriores

O Globo Online
24/07/2009 às 08h05m

Quadrilha assalta Aeroclube de Porto Alegre
ClicRBS

PORTO ALEGRE - O Aeroclube do Rio Grande do Sul, no bairro Belém Novo, na zona sul da Capital, foi alvo de assaltantes na noite desta quinta-feira. De acordo com a Brigada Militar, o vigilante que trabalha no acesso principal foi rendido por dois homens armados com pistolas, que estavam numa moto. Após abrirem o portão, um veículo com luz alta apareceu e mais quatro bandidos se uniram à dupla.

O grupo, junto com segurança, foram em direção à Vila dos Alunos, onde ficam as casas utilizadas como alojamento para os futuros pilotos da Escola Aeronáutica Civil, que funciona no aeroclube.

Segundo os policiais, o vigilante foi forçado a pedir para que os alunos abrissem as portas. Os assaltantes, que usavam toucas e capacetes, separaram-se e invadiram pelo menos três residências simultaneamente. Ao entrar, os bandidos forçavam as vítimas a deitar no chão e as amarravam com fitas plásticas.

Em pouco minutos, o grupo roubou vários objetos dos alunos como computadores, dinheiro e celulares.

Os criminosos fugiram no automóvel não identificado e na moto. Policiais do 21º Batalhão de Polícia Militar foram acionados e fizeram buscas na região. Até a 1h, ninguém havia sido preso.

 

 

O Globo Online
24/07/2009
Anac espera alta de 3% na demanda de passageiros no Brasil em 2009 puxada pelo Rio
Erica Ribeiro

RIO - O mercado de aviação brasileiro, no que diz respeito à demanda de passageiros, terá , mesmo com a crise, resultado positivo este ano, estimado em 3% - a projeção inicial era de 2% -, afirma a presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Solange Vieira. Em contrapartida, o mercado mundial sofrerá um decréscimo de 4% no ano, segundo Solange, com base em pesquisas de organismos internacionais do setor.

De acordo com a presidente da Anac, apesar de os números de janeiro a maio apresentarem uma queda de 1% na demanda no Brasil, no mesmo período o mercado mundial decresceu 7,5%. No entanto, dados da Anac sobre o mercado brasileiro já mostram alta na demanda de 3,2% de janeiro a junho.

Para Solange, o Rio tem sido o propulsor da melhora da demanda no país. O estado teve crescimento de 7% na demanda, e ela atribui o resultado à abertura do Aeroporto Santos Dumont, que em março passou a receber mais voos além da ponte aérea, a preços mais competitivos.

- A abertura do Santos Dumont, sem dúvida, fez do Rio o propulsor dessa melhora. Temos também um mercado consumidor enorme que não voa de avião como em outros países. Quando o preço cai, a demanda aumenta e mais pessoas passam a usar o avião. Com isso, o Brasil se sai melhor em relação ao mercado mundial e pode passar pela crise com crescimento, ainda que inferior ao registrado em 2008 - diz Solange, que abre hoje, no Rio, a Feira Nacional de Aviação Civil.

Para o especialista em aviação Paulo Bittencourt Sampaio, a demanda de passageiros poderá passar de 3% esse ano.

- Ainda estamos distantes dos 10%, anteriores à crise. Mas há melhora. E o impulso não vem do duopólio TAM/Gol-Varig, e sim das empresas médias, como Webjet, OceanAir e Azul. Elas estão oferecendo melhores preços, e para o passageiro não tem nada melhor - acrescenta Sampaio.

Sobre a possibilidade de o Santos Dumont crescer acima de sua capacidade atual de oito milhões de passageiros por ano, Solange diz que isso não acontecerá.

- O aeroporto deverá chegar à sua capacidade total até o fim do ano e não a ultrapassará - afirma.

Nesta sexta-feira, a presidente da Anac , o secretário de Aviação Civil, Jorge Barreto Godinho Neri (representando o ministro Nelson Jobim) e representantes da prefeitura do Rio e do governo do Estado participam da abertura da segunda edição da Feira Nacional de Aviação Civil, no Rio,que será realizada no Aeroporto de Santos Dumont - Hangar do III Comar.

O evento será aberto ao público neste sábado e domingo, de 9h às 17h com entrada gratuita. Quem quiser, pode levar um quilo de alimento não perecível, para doação a instituições.

Além de exposição de cerca de 30 aeronaves, estandes de escolas de aviação, universidades e centros de treinamento e de companhias aéreas, serão realizadas atividades lúdicas para crianças. A previsão é receber cerca de 50 mil pessoas durante os dois dias de funcionamento da feira. Nesta sexta-feira,a feira ficará fechada para uma visita guiada de 600 crianças de escolas públicas do Rio e de comunidades.

 

 

Mercado e Eventos
24/07/2009

Webjet participa da Feira Nacional de Aviação Civil

A Webjet Linhas Aéreas confirmou sua presença na Feira Nacional de Aviação Civil 2009, promovida pela Anac. A companhia contará com um estande de 19m², onde apresentará sua nova comunicação visual das lojas. Os visitantes serão recebidos por comissárias de bordo caracterizadas, que servirão bebidas e petiscos.

Na abertura da Feira, a Webjet receberá a visita de cerca de 500 crianças de escolas públicas. O evento é aberto ao grande público nos dias 25 e 26 de julho, com entrada gratuita, no hangar do III Comar, ao lado do Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio de Janeiro.

 

 

Zero Hora
24/07/2009

Dono de relíquias da aviação
JAYME MEDITSCH, colecionador de aviões, morador do bairro Tristeza

O fascínio por aviões surgiu em 1927, quando Jayme tinha apenas quatro anos. O menino que recém vira os primeiros carrinhos de madeira ficou pasmo ao ouvir e avistar no céu uma enorme aeronave voando baixo sobre sua casa. Começava ali uma paixão que ultrapassa oito décadas.

Hoje, aos 85 anos, o dentista aposentado Jayme Meditsch segue aficionado pelo assunto. Guarda em casa, na Rua Pedro de Oliveira Bittencourt, no bairro Tristeza, uma coleção de 483 miniaturas de aviões. Em duas salas da residência, estão modelos que simbolizam toda a história da aviação mundial, desde a réplica do 14 BIS – o primeiro avião feito por Santos Dumont, em 1906 – a caças russos de última geração.

Apesar do encanto infantil, foi somente em 1954, já adulto, que o dentista iniciou sua coleção. Os primeiros modelos foram feitos por ele, usando pedaços de madeira, uma machadinha e inspirados apenas em imagens de papel. Com o passar dos anos, passou a comprar os objetos desmontados, em peças de plástico. A cada viagem que fazia, vasculhava lojas em busca de um modelo novo.

– Eu sempre quero mais um, e mais um. E ia comprando, pesquisando – lembra.

A miopia o impediu de tirar brevê para pilotar. Mas encontrou outras formas de se aproximar do mundo das aeronaves. Trabalhou como dentista durante 35 anos no Hospital da Base Aérea de Canoas e outros 17 anos na Varig. Entre uma obturação e um tratamento de canal nos pilotos, aproveitava para se informar sobre as novidades aeronáuticas. Virou uma enciclopédia viva do assunto. Conhece a história de cada modelo, em que ano foi usado e, em muitos casos, quem era o comandante do aparelho.

– Esse é um modelo da Esquadrilha da Fumaça que o major Braga pilotava – mostra o colecionador, que há 51 anos mora no bairro Tristeza.

Até hoje, Jayme segue ampliando o acervo. A última aquisição foi um modelo da marca alemã Blohm & Voss. Com mãos firmes e hábeis, ele montou peça por peça e pintou a aeronave. E tudo fica catalogado num livro, com fotos digitais tiradas por ele mesmo em anexo.

A coleção que lembra brincadeira de criança nunca chamou muito a atenção dos cinco filhos, 14 netos e três bisnetos.

– Eles sempre gostaram mais desses autinhos – lamenta.

 



Página Principal