Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quarta-Feira, 13 de Dezembro de 2017
24/03/2009
Notícias Anteriores

Monitor Mercantil
23/03/2009 - 21:03h

STF julga ação bilionária da Varig

O Supremo Tribunal Federal (STF) agendou para esta quarta-feira o julgamento de uma recurso judicial da Varig antiga (hoje denominada Flex), que ficou conhecida popularmente como "ação de defasagem tarifária". Esse recurso cobra do governo uma indenização de pelo menos R$ 5 bilhões por perdas com o congelamento de tarifas entre os anos 80 e 90. O pagamento da indenização bilionária à Flex já havia recebido aval favorável do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A Advocacia Geral da União (AGU), porém, recorreu no STF, que vai julgar se essa matéria é constitucional e se é da alçada do próprio Supremo. Caso os ministros considerem que não, vale a decisão anterior já proferida pelo STJ.

 

 

O Estado de São Paulo
24/03/2009

Governo do Rio desiste de briga no Santos Dumont
Sérgio Cabral decidiu acatar decisão da Anac de liberar o aeroporto
Alberto Komatsu

Depois de ter declarado "guerra" contra a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no dia 3 de março, quando a agência decidiu pela abertura do Aeroporto Santos Dumont para voos nacionais de longa distância, o governador do Rio, Sérgio Cabral, recuou e decidiu acatar a decisão da Anac. Nas últimas semanas, Cabral chegou a classificar de "deboche" a decisão e ameaçou ajuizar recursos na Justiça. O governador também disse que elevaria a alíquota do ICMS sobre o querosene de aviação (QAV) no terminal.

"Cabral acatou as ponderações do secretário Regis Fichtner (Casa Civil) de que há de se respeitar as funções da Anac", informou o governo do Rio, por meio de nota oficial. No comunicado, o governo "reitera o temor de que a cada novo voo via Santos Dumont para capitais brasileiras, menos voos partirão do Aeroporto Internacional Tom Jobim", o que poderia trazer a "perda de voos internacionais diretos, conquistados com muito trabalho nos dois últimos anos".

O governador estaria, com o recuo, evitando um desgaste político com a resistência à mudança, que permitiu que a Azul Linhas Aéreas começasse a operar do Santos Dumont para Campinas com tarifas a partir de R$ 39, desde sexta-feira. Em 24 horas, a empresa diz ter vendido cerca de 5 mil bilhetes. Informa ainda que sua taxa de ocupação nos primeiros dias de operação supera os 80%.

As retaliações haviam sido justificadas pelo governo como forma de tentar impedir um esvaziamento do Aeroporto Tom Jobim (Galeão), o que prejudicaria a realização da Copa do Mundo de Futebol no País, em 2014, e a candidatura do Rio a sede das Olimpíadas de 2016.

Desde 2005, o Galeão começou a operar voos para as principais capitais do País que antes eram realizados no Santos Dumont. A partir daquele ano, o Santos Dumont ficou restrito a voos da ponte aérea, regionais e de táxi aéreo.

Apesar da reviravolta, na sexta-feira passada a Secretaria Estadual do Ambiente notificou a Infraero sobre a urgência de uma nova licença ambiental para o novo perfil de operação do Santos Dumont. O não cumprimento dessa medida pode implicar em multa de até R$ 1 milhão e a interdição do terminal.

 

 

O Estado de São Paulo
24/03/2009

Gol despenca 7% com prejuízo maior

Gol PN recuou 7,05%. A empresa anunciou aumento de capital de R$ 203,5 milhões e informou que seu prejuízo no quarto trimestre de 2008 foi de R$ 687,0 milhões, ante perda de R$ 6,5 milhões em igual período de 2007.

 

 

Folha de São Paulo
24/03/2009

Ação da Gol cai 7% após anúncio de perdas em 2008
DA REPORTAGEM LOCAL

O prejuízo de R$ 1,3 bilhão registrado pela Gol em 2008 -como antecipado pela Folha no sábado- levou as ações da companhia aérea a caírem 7% na Bovespa ontem. Foi a maior queda do pregão em um dia em que a Bolsa avançou 5,89%.

O resultado da Gol, derrubado por perdas de US$ 559 milhões com a valorização do dólar no ano passado, decepcionou o mercado. "Operacionalmente, ou seja, contabilizando somente as receitas e os gastos com o transporte de passageiros, houve lucro", disse Leonardo Pereira, vice-presidente financeiro e de relações com investidores.

A empresa espera que o mercado de aviação brasileiro cresça entre 2% e 4% em 2009 e não vê espaço para aumento nos preços de passagens.

 

 

Folha de São Paulo
24/03/2009

Cabral desiste de tentar barrar voos no Santos Dumont
DA SUCURSAL DO RIO

O governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), recuou em seu confronto com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para tentar impedir que o aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio, seja usado para voos de outros destinos, além de São Paulo. A ampliação, dizia, prejudicaria a concessão do aeroporto Tom Jobim, na zona norte, à iniciativa privada.

Por meio de nota, Cabral, que está nos EUA, afirmou que aceitou as "ponderações do secretário Regis Fichtner (Casa Civil) de que há de se respeitar as funções da Anac".

Cabral informou que sua equipe está "avaliando" as consequências dos novos voos. Na sexta, o governo ameaçara multar o aeroporto em até R$ 1 milhão afirmando que havia necessidade de novo licenciamento ambiental antes da ampliação dos voos.

 

Mercado e Evemtos
24/03/2009

Gol começa a operar no Santos Dumont a partir de 22 de abril

Segundo Constantino de Oliveira Júnior, presidente da Gol, a empresa começará a operar voos regionais a partir do aeroporto Santos Dumont em 22 de abril. Com 16 autorizações para pousos e decolagens diárias já aprovadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a Gol avalia ainda as cidades que serão atendidas a partir do Santos Dumont. Os destinos mais prováveis são Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Campinas e Vitória. A ideia, disse Constantino Jr, é ter pelo menos três voos por dia atendendo esses destinos, mas nem todos estão garantidos.

"Não necessariamente vamos atender todos esses mercados" disse, explicando que para Brasília, poderão ser até seis voos. A maior parte dos novos destinos que a empresa terá partindo do aeroporto central do Rio, além dos 26 da ponte-aérea para São Paulo, será remanejada do Galeão.

Página Principal