Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quarta-Feira, 13 de Dezembro de 2017

22/12/2009

Notícias Anteriores

Folha de São Paulo
22/12/2009

TAM compra Pantanal e volta à liderança em Congonhas
Negócio de R$ 13 mi marca retorno da empresa como operadora de voos regionais
Com aquisição, TAM supera Gol em Congonhas e tira chances da Azul de entrar no aeroporto mais rentável do país

MARIANA BARBOSA
DA REPORTAGEM LOCAL

A TAM anunciou ontem a aquisição total da empresa aérea Pantanal, por R$ 13 milhões. Com a compra, a TAM recupera a liderança em número de slots (posições de pouso e decolagem) no aeroporto de Congonhas (SP) e acaba com a única chance que a Azul tinha de entrar no aeroporto mais rentável do país. A liderança em slots havia sido perdida para para a Gol quando esta comprou a Varig, em 2007.

O principal ativo da Pantanal são os 135 slots semanais em Congonhas. Há mais 61 que foram retomados pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e que a TAM deve tentar reaver na Justiça.

Segundo o presidente da TAM, Líbano Barroso, a aquisição marca a volta da empresa como operadora de linhas regionais. "Com a Pantanal, trazemos uma nova linha de negócios e vamos explorar destinos de média densidade que serão integrados à nossa malha doméstica e internacional."

A TAM não tem obrigação legal de manter a mesma malha ou a marca. Mas, segundo Barroso, esse é o objetivo. "Essa malha tem muito valor e vamos potencializar isso, integrando-a aos nossos processos e à malha doméstica e internacional da TAM", disse Líbano. "Vamos poder ligar Bauru à Frankfurt."

O executivo afirmou que o crescimento da Pantanal poderá se dar com aviões da Embraer. A empresa possui três aviões turboélices modelo ATR em operação. "Sem dúvida, os da Embraer são os mais bem posicionados nesse mercado de menos de cem lugares."

A aquisição depende da aprovação da Anac. A Pantanal, em recuperação judicial, tem 0,14% do mercado e liga Congonhas a cidades do interior, como Bauru e Marília.

O negócio envolve ativos e passivos. A Pantanal possui uma dívida tributária superior a R$ 50 milhões que está enquadrada no Refis (pagamento em 15 anos). Há ainda um passivo de R$ 18 milhões com fornecedores, sendo quase R$ 5 milhões com a própria TAM.

O negócio deve inaugurar uma disputa judicial entre TAM e Anac. Em agosto, a Anac comunicou à Pantanal que iria redistribuir 61 slots que estavam fora de uso, como prevê a legislação. A Pantanal tentou barrar o processo na Justiça, mas há duas semanas o STJ (Superior Tribunal de Justiça) deu decisão favorável à Anac.

A Anac informou que a venda da Pantanal não altera o cronograma e que o leilão de distribuição de slots está confirmado para 1º de fevereiro.

Questionado pela Folha se planeja recorrer à Justiça para manter a totalidade dos slots, Barroso limitou-se a dizer que vai "defender os interesses da companhia" e "respeitar os devidos processos legais".

A TAM recusou, há dois anos, uma oferta de compra da Pantanal. Um ano antes, a companhia havia anunciado uma decisão estratégica de sair da aviação regional, privilegiando aviões maiores e rotas de maior densidade. A empresa passou, então, a atender cidades de baixa ou média densidade em parceria com a Trip.

O momento agora, diz Barroso, é outro. "O mercado está em forte crescimento, e acreditamos que exista um potencial interessante para rotas de media densidade."

Recentemente, a Azul tentou comprar a Pantanal. "Estávamos prontos para comprar, mas desistimos quando a Anac disse que não havia garantia de manutenção dos slots por entender que eles são um bem público que não pode ser vendido", disse o vice-presidente de relações institucionais da Azul, Adalberto Febeliano.

 

 

O Estado de São Paulo
22/12/2009

De olho nos vôos regionais, TAM compra a Pantanal
Com a aquisição, maior companhia aérea do País reage à entrada de novas empresas, como a Azul
MICHELLY TEIXEIRA COM REUTERS

A TAM, maior companhia aérea do País, anunciou ontem a compra da Pantanal Linhas Aéreas, empresa focada em voos regionais nos Estados de São Paulo, Minas e Paraná. A Pantanal está em processo de recuperação judicial e a TAM pagará R$ 13 milhões pela totalidade do capital da empresa. A aquisição ocorre em meio ao aumento da competição na aviação regional brasileira, que tem novos concorrentes, como a Azul.

Em novembro, a Pantanal foi responsável por apenas 0,16% do tráfego de passageiros no País, segundo Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O maior interesse da TAM na empresa, segundo o presidente interino, Líbano Barroso, são os direitos de pousos e decolagens da Pantanal no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A Pantanal possui 196 slots em Congonhas, dos quais 61 serão redistribuídos pela Anac diante de falta de regularidade nos voos.

FROTA

A transação ainda precisa de aprovação da Anac. "Estamos incorporando uma nova linha de negócios", afirmou Barroso. Segundo o presidente da TAM, a ideia é renovar a frota da Pantanal, atualmente com três aviões ATR42 de 45 passageiros. "Talvez faça mais sentido olharmos para aviões ATR ou Embraer", disse ele, acrescentando que uma decisão sobre o fornecedor sairá no ano que vem. Conforme Barroso, a Pantanal explorará destinos de média densidade e será uma unidade do Grupo TAM. A Pantanal faturou cerca de R$ 70 milhões nos últimos 12 meses e a marca será mantida.

A compra da Pantanal e a estratégia de lançamento de uma unidade vem também depois que a TAM - que nasceu como uma empresa aérea de voos regionais - decidiu anos atrás se concentrar nos grandes centros do País, eliminando aviões Fokker 100 e padronizando a frota com aeronaves Airbus.

A TAM encerrou novembro com participação de quase 44% do mercado nacional de aviação, ante 42,25% da principal rival, a Gol. A Azul, que começou a operar há um ano, teve 4,31% do mercado no mês passado e a WebJet, 4,56%.

"Agora que temos essa consolidação de nossa posição (líder), vemos como estratégico e importante focarmos nos mercados de média densidade, que são mercados que crescem com mais velocidade que os grandes centros", justificou Barroso.

De acordo com o presidente da TAM, a empresa vinha avaliando a compra da Pantanal há cerca de três anos. Apesar disso, ainda não possui um plano de tamanho de frota e prováveis destinos que serão inicialmente atendidos em adição às atuais rotas da empresa adquirida.

COPA E OLIMPÍADAS

A Pantanal faz voos de São Paulo para Araçatuba, Bauru, Presidente Prudente, Marília, em São Paulo, e Juiz de Fora (MG) e Maringá (PR). "Vamos buscar a partir desses destinos alcançar outros centros que não apenas São Paulo. Por exemplo, Campinas (SP) e outras cidades do Sul e do Norte do País", afirmou Barroso. A Azul escolheu o aeroporto de Viracopos, em Campinas, como eixo central de seus voos.

Em comunicado, a presidente do Conselho de Administração da TAM, Maria Cláudia Amaro, disse que o grupo tem expectativa de "crescer de forma bastante expressiva" com a Pantanal.

"Nossa expectativa é darmos um salto a cada ano, até 2014", destacou Maria Cláudia. No comunicado, ela explica que 2014 será o ano da Copa do Mundo no Brasil e, em 2016, o Rio de Janeiro irá sediar os Jogos Olímpicos.

Segundo a TAM, a Pantanal passará a compartilhar serviços, tecnologia e manutenção, além de fazer parte do programa de fidelidade Multiplus da TAM. Também vai se beneficiar da integração com a malha da TAM Linhas Aéreas.

"Vamos ligar Bauru a Frankfurt, só para citar uma dessas possibilidades de ampliação da cobertura geográfica", afirmou a presidente do Conselho da TAM no comunicado.

Página Principal