Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quinta-Feira, 25 de Maio de 2017

21/03/2010

Notícias Anteriores

Site Olhar Direto
21/03/2010

Embraer não vê "cenário de contratação"
Agência Folha

Pouco mais de um ano depois de demitir 20% dos seus funcionários, a Embraer, terceira maior fabricante de aviões do mundo, não pensa em ampliar seu quadro funcional. Anteontem, a companhia divulgou que, em 2009, registrou lucro líquido de R$ 894,6 milhões, 109% mais que no ano anterior.

Para a empresa, que bateu recorde de entrega de aeronaves no ano passado, o mercado mundial de aviação deve se recuperar plenamente da crise econômica só em 2011. Até lá, a política é apertar os cintos.

"Nosso cenário ainda não é de contratação", afirma Luiz Carlos Aguiar, vice-presidente financeiro da Embraer. No ano passado, apenas 23 jatos comerciais foram encomendados, ante 112 em 2008, num sinal de que a crise persiste.

Segundo a Embraer, o elevado crescimento do lucro em 2009 foi impactado pela valorização do real, que fez "inflar" os números. No balanço que não considera as variações cambiais, o lucro caiu 36%.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP) reclama de um "aumento abusivo" no ritmo de trabalho. No ano passado, a Embraer operou com uma equipe 20% menor que no ano anterior, quando entregou 40 aviões a menos.

Para a empresa, porém, no ano passado boa parte da produção foi de aeronaves pequenas, que exigem um ciclo de produção menos intenso.

 

 

Site Correio Braziliense
21/03/2010

Avião cai em Luziânia e deixa dois feridos gravemente
Manoela Alcântara

Um avião monomotor caiu próximo ao Aeroclube de Luziânia, cidade goiana distante 56 km de Brasília, e deixou duas pessoas gravemente feridas, segundo o Corpo de Bombeiros da cidade.

A primeira vítima identificada foi o tenente-coronel Tanaka, que foi levado consciente ao Hospital de Luziânia e com fraturas expostas nas pernas. Ao chegar no local, recebeu os primeiros socorros e foi transportado em um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) ao Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília

O segundo ocupante, Juan Alves, foi transportado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e por enquanto não é possível saber o estado de saúde dele.

O acidente ocorreu por volta das 17h50. Juan Alves fazia um teste em um avião Uirapuru, no qual cabem somente duas pessoas. Ele tentava conquistar um brevê de piloto mas, ao arremeter a aeronave, uma pane atrapalhou a manobra e o avião caiu. A reportagem tentou entrar em contato com a Força Aérea Brasileira (FAB), mas o celular de serviço da assessoria de imprensa da instituição não atendia.

 

 

Jornal Floripa
21/03/2010

Atraso das correspondências afeta Norte e Nordeste
Segundo os Correios, os atrasos se devem a problemas na rede postal noturna, que faz o transporte aéreo de correspondências e objetos. Apenas cinco aviões estão em operação.

Um problema que está afetando milhões de brasileiros, principalmente nas regiões Norte e Nordeste: o atraso na entrega de correspondências.

A nossa página na internet recebeu muitas mensagens com queixas e a repórter Cristina Serra foi atrás de uma explicação.

Para não receber as correspondências com atraso, os moradores de Marechal Deodoro, a 25 quilômetros de Maceió, é que têm de ir à agência dos Correios. Há quatro meses tem sido assim.

“Quando o pessoal entra aqui para ser atendido é mais 45 minutos de demora, duas horas, cinco horas, tem pessoas aqui que passaram cinco horas”, desabafou a dona de casa em Alagoas Ana Paula da Silva.

Segundo a agência, dos cinco carteiros da cidade, dois estão doentes e a entrega atrasou. “O pessoal que mora em outras localidades tem que pagar passagem, quem tem transporte tem que gastar combustível, quer dizer, é esse desaperreio todo”, reclamou o aposentado em Alagoas José Luís Ferreira.

Em Fortaleza, a aposentada Gilda Peixoto confere a caixa de correspondências, mas as contas que ela espera só chegam com atraso, depois da data de vencimento. “A gente paga multa por atraso. Agora, eu queria saber quem é que vai pagar para a gente a multa que a gente paga?”

Problema também para uma corretora de seguros. Os boletos teriam que chegar com muita antecedência porque ainda precisam ser encaminhados aos clientes.

“Então fica difícil para entregar para os clientes, porque a gente tem esse procedimento”, queixou-se Luiz Carvalho, corretor de seguros no Ceará.

A direção local dos Correios informou que vai fazer um concurso para contratar mais carteiros. Em Manaus, desde dezembro foi suspenso o serviço de entrega rápida de encomendas.

“Eu reclamei agora há pouco e o rapaz me disse que a declaração que ele tem a dar é que era problema com o transporte, não com o Correio em si. Eu tenho prazo para entregar uma documentação e se não chegar lá no prazo, o que eu vou dizer?”, questionou Emanuele Oliveira, empresária no Amazonas.

Segundo os Correios, os atrasos se devem a problemas na rede postal noturna, que faz o transporte aéreo de correspondências e objetos. Até outubro do ano passado, nove aviões operavam na rede, mas quatro tiveram que parar para manutenção. Agora, apenas cinco aviões estão em operação.

Os cargueiros são de empresas contratadas pelos Correios. A falta de aviões afetou uma linha para Manaus e outra para o Nordeste. Por problemas no serviço, os Correios romperam os contratos com duas empresas e estão abrindo licitação para regularizar o transporte.

Com essas medidas, os Correios esperam ter 11 aviões na rede postal, mas ainda não há prazo para que o serviço volte ao normal.

Os Correios estão avisando aos clientes do serviço de entrega rápida sobre os atrasos que têm ocorrido. Sobre as contas, segundo os Correios, as empresas têm que dar aos clientes uma alternativa para que eles recebam uma segunda via ou possam efetuar o pagamento de outra forma.

Página Principal