Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Sábado, 24 de Junho de 2017
16/02/2009
Notícias Anteriores

Agência Estado
16/02/2009 - 20:17h

Juiz planeja encerrar recuperação da Flex em breve
Por Alberto Komatsu

Rio - O juiz Luiz Roberto Ayoub, da 1ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio, planeja decretar o fim da recuperação judicial da Varig antiga (Flex) depois de o Ministério Público se pronunciar sobre esse processo, o que só deve acontecer após o Carnaval.

De acordo com Ayoub, ainda falta ele receber o relatório do administrador judicial da Flex, Luiz Alberto Fiore, da consultoria Deloitte, sobre a última assembleia de credores da companhia, realizada na sexta-feira.

No encontro, foi aprovado o último único requisito formal para a reestruturação da Flex, a minuta dos papéis de dívida (debêntures) que vai quitar a dívida com os credores. "Eu vou ler o relatório e vou abrir vista para o Ministério Público. Me parece que, se não tiver nada de novo, vou encerrar a recuperação judicial", afirmou Ayoub.

Questionado sobre quando ele deve finalizar esse processo, o juiz afirmou que considera "difícil" ainda esta semana, estimando que é "mais provável" que a decisão seja anunciada após o Carnaval. Isso porque após ele abrir vistas do relatório da Deloitte para o MP, o que deve acontecer na quarta-feira, o ministério terá de analisar e devolver o documento ao juiz.

Na quinta-feira, Ayoub terá uma reunião com os principais credores da Flex, como representantes dos trabalhadores, o fundo de pensão Aerus e dirigentes da Flex. Segundo o juiz, foram as partes interessadas na recuperação judicial da companhia que pediram a realização do encontro.

 

 

Folha de São Paulo
16/02/2009

Aeroporto terá movimento 30 vezes maior
Viracopos vai suprir demanda que Cumbica, mesmo com mais um terminal, e Congonhas não conseguem suportar
Previsão em estudo de impacto ambiental aponta que fluxo de passageiros em SP deve ir de 34 milhões para 115 milhões até 2025

RICARDO SANGIOVANNI
DA REPORTAGEM LOCAL

A Infraero (estatal que administra aeroportos) pretende investir R$ 6,4 bilhões até 2025 para tornar o aeroporto de Viracopos, em Campinas, o mais movimentado do país. A expectativa é ampliar em mais de 30 vezes a capacidade do aeroporto, habilitando-o a receber 61 milhões de passageiros por ano até 2025 -ou 4,6 vezes o total de passageiros que passou por Congonhas no ano passado.

Estimativa da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil) prevê para 2025 um movimento de 115 milhões de passageiros por ano em Cumbica (Guarulhos), Congonhas e Viracopos. No ano passado, Viracopos foi responsável por apenas 1,08 milhão dos 34 milhões de passageiros dos três aeroportos.

Entretanto, tanto Congonhas quanto Cumbica já funcionam com saturação e nem o terceiro terminal que será construído em Guarulhos dará conta da demanda prevista. Por isso, a Infraero quer expandir Viracopos, hoje utilizado principalmente para cargas. O Ministério da Defesa, porém, mantém o plano de construção de um terceiro aeroporto na Grande São Paulo, ainda sem prazo e local definidos.

O plano de expansão consta do Estudo de Impacto Ambiental para a ampliação de Viracopos, que, pelo projeto, ganhará uma segunda pista, um novo terminal de passageiros 13 vezes maior que o atual e um pátio de aeronaves com o dobro do tamanho até 2015, data prevista para o fim da primeira e principal fase da expansão.
A área prevista para a ampliação é de 27 milhões de metros quadrados -mais de três vezes a atual e equivalente a duas vezes a de Cumbica ou 16 vezes a área de Congonhas. A previsão é de início das obras em setembro deste ano, com conclusão da segunda pista para pousos no final de 2011.

Segundo o estudo, as cerca de 3.700 pessoas que vivem na área prevista para a ampliação terão de ser indenizadas. A maioria das propriedades é de famílias de baixa renda. Empresas de mineração, chácaras de fim de semana e até um local histórico -a área remanescente da colônia alemã de Friburgo (leia mais nesta página)- estão na área da ampliação.

O relatório, disponível desde meados de janeiro para consulta pública em sete prefeituras de municípios afetados direta ou indiretamente pela expansão -Campinas, Paulínia, Jaguariúna, Sumaré, Hortolândia, Valinhos e Vinhedo-, será discutido em audiência pública na Câmara Municipal de Campinas na quinta-feira.

A audiência é um dos passos para a obtenção do licenciamento ambiental do projeto, que a Infraero espera obter da Secretaria Estadual do Meio Ambiente a tempo de iniciar as obras no prazo estabelecido.

Dos 35 impactos ambientais contabilizados em decorrência da expansão, 28 são considerados negativos e requerem medidas de compensação por parte da Infraero -porém, além da valorização imobiliária no entorno do aeroporto, nenhum outro é considerado de "alta relevância", segundo o relatório.

Iniciativa privada

A ampliação deverá ser custeada com verbas da própria estatal e do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do governo federal. Segundo a Infraero, o plano de ampliação está sendo levado adiante independentemente da possibilidade de concessão do aeroporto à iniciativa privada, anunciada pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, no ano passado.

Jobim deverá receber da Anac, até meados de junho, um modelo de concessão de aeroportos que está sendo elaborado pela agência e pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A sugestão será encaminhada ao presidente Lula, a quem cabe tomar a decisão final.

 

 

Folha de São Paulo
16/02/2009

Ampliação ameaça 35 famílias de comunidade rural alemã
DA AGÊNCIA FOLHA, EM CAMPINAS

"O que nos deixa mais chocados é essa agonia de não saber o que vai acontecer. Não sabemos nem quanto tempo darão para a gente sair daqui."

A frase do produtor rural Gerson Schäfer, 54, resume a preocupação de cerca de 35 famílias da comunidade de imigrantes alemães e seus descendentes da colônia de Friburgo, que terão de deixar a área para a ampliação de Viracopos.

Friburgo é um bairro com cultivo de uvas, gado e feijão, entre outros, formado em meados do século 19 por alemães da região de Schleswig-Holstein.

Há dois decretos -um de 2006 e outro de 2008- da Prefeitura de Campinas que tornam parte do entorno de Viracopos como de utilidade pública. A maior parte dos 4.000 m2 da sede da colônia estão dentro do primeiro decreto.

A comunidade chegou a ter mais moradores, mas com a crise da cafeicultura muitos deixaram o local, no início do século 20. Diversas famílias ainda visitam a colônia para assistir aos cultos na Igreja Evangélica de Confissão Luterana, fundada em 1933, e homenagear os mortos na Associação Funerária do Friburgo, fundada em 1887. Com a ampliação, a igreja pode ser destruída.

"Fizeram um malabarismo para não atingir o cemitério, mas a igreja terá de ser destruída. As pessoas não entendem que tudo isso tem um valor histórico", diz Schäfer.
(MAURÍCIO SIMIONATO)

 

 

Folha de São Paulo
16/02/2009

Azul oferece traslado gratuito entre shoppings e Viracopos
DA REPORTAGEM LOCAL

Recém-chegada ao aeroporto de Viracopos, em dezembro, a Azul criou em janeiro um serviço de traslado gratuito para seus passageiros, entre o aeroporto e os shoppings Villa-Lobos (zona oeste de SP) e Tamboré (Grande SP). Com ocupação média de 35%, o transporte passará a ser cobrado em março -custará cerca de R$ 25.

Iniciado no dia 14 em fase de testes, o serviço de ônibus com ar-condicionado, televisão e internet sem fio atraiu mais passageiros do aeroporto até São Paulo do que no sentido contrário, diz o presidente da Azul, Pedro Janot.

"A média é de dois [passageiros nos ônibus sentido Viracopos-SP] para um [SP-Viracopos]. Na vinda [para o aeroporto], as pessoas têm mais opções", diz. A viagem leva uma hora e dez minutos -quase o tempo do voo até Vitória (ES).

A cobrança a partir de março, segundo Janot, já era prevista. "O serviço foi uma forma de mostrar ao passageiro que é possível usar o aeroporto. Embora Congonhas e Cumbica fiquem mais perto, os passageiros estão sujeitos ao trânsito."

"Foram o preço e a facilidade do traslado que me fizeram viajar por Viracopos", diz o engenheiro Emerson Tuboni, 31, que ia ontem para Salvador.

Embora não descarte a possibilidade de incluir o traslado gratuito em promoções no futuro, Janot diz não acreditar que o serviço vá fazer diferença na disputa das empresas por passageiros, já que TAM, Gol e Trip, que também operam em Viracopos, usam o aeroporto principalmente para conexões -diferentemente da Azul, que usa o terminal em voos diretos.

 

 

Coluna Claudio Humberto
16/02/2009

PMDB banca substituto na Infraero

Os métodos de quartel do novo presidente da Infraero, brigadeiro Cleonilson Nicácio, deixaram a estatal em pé de guerra. Ele transferiu cerca de 50 funcionários até para cidades diferentes, mas os atos foram suspensos pela Justiça na sexta (13). Rogério Abdala é um dos cotados para substituí-lo, com o aval do PMDB do ministro Nélson Jobim (Defesa) e dos presidentes do Senado, José Sarney, e da Câmara, Michel Temer.

 

 

Coluna Claudio Humberto
16/02/2009

Voa, brigadeiro

Enquanto a Infraero fervia e seu cartaz estava em chamas, o brigadeiro Cleonilson Nicácio viajava. Estava em Dubai, Emirados Árabes.

 

 

Jornal do Brasil
16/02/2009

Helicóptero cai no aeroporto de Jacarepaguá e fere os dois ocupantes
Agência Brasil

RIO - Um helicóptero, modelo Robinson-22, para dois ocupantes, caiu no início da tarde desta segunda-feira, no Aeroporto de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Dcea), a aeronave caiu quando se aproximava da cabeceira da pista em manobra de pouso.

Ainda de acordo com o Dcea, o helicóptero já foi removido e o aeroporto está aberto para operações de pouso e decolagem.

Segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), responsável pelo Aeroporto de Jacarepaguá, o helicóptero pertence a uma empresa de curso de vôo e realizava aula prática no momento da queda.

As duas vítimas foram conduzidas para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, com ferimentos leves. Uma delas quebrou o braço. O Aeroporto de Jacarepaguá é usado por pequenas aeronaves, principalmente para vôos de instrução e por aviões que exibem faixas de propaganda.

 

 

Mercado e Eventos
16/02/2009

Webjet anuncia novos voos e lançamento do cartão fidelidade até dezembro

A exemplo da concorrência a Webjet terá ainda este ano um cartão fidelidade. A informação foi confirmada por Wagner Ferreira, presidente da empresa aérea, e faz parte de uma estratégia da companhia de atrair novos clientes. O dirigente confirmou que o modelo não será semelhante ao utilizado por outras companhias no país.

"Nosso modelo terá um diferencial em relação a concorrência permitindo aos nossos passageiros algumas vantagens e estaremos apresentado ao mercado até o final deste ano. Estamos trabalhando neste produto assim como em novas estratégias como o guarda-chuva Webgente", afirmou ele.

Ferreira confirmou que os planos de chegar a julho com 16 aeronaves, inicialmente previsto sofrerão um adiamento em função dos efeitos da crise econômica. "As taxas de ocupação este mês ficaram em torno de 62% um pouco abaixo da nossa expectativa e o momento é de cautela para termos uma melhor definição sobre como o mercado irá se comportar", afirmou.

Sobre as novas rotas confirmou que a Webjet está iniciando a rota Brasília-Salvador e Guarulhos-Curitiba, além do aumento de duas para três na Rio-Salvador, uma segunda operação entre Guarulhos e Salvador e duas também entre Guarulhos e Porto Alegre. A capital gaúcha passa a contar também com três voos para o Rio, o mesmo acontecendo com Rio-Curitiba. Já a Rio-Brasília terá cinco voos.

Página Principal