Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Sábado, 23 de Setembro de 2017

12/01/2010

Notícias Anteriores
O Globo
12/01/2010

VarigLog arrecada R$ 30,3 milhões

SÃO PAULO - A 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo liberou ontem a VarigLog a usar R$ 30,3 milhões que arrecadou com a venda de 30% de ações preferenciais (PN) da Gol em seu poder. O dinheiro, segundo a advogada da companhia, Laura Bumachar, do escritório Barbosa, Mussnich Aragão, será usado para pagar as despesas correntes da operação.

O advogado dos trabalhadores da VarigLog, Carlos Duque Estrada, lamenta que os recursos liberados não possam ser usados para a abater o passivo trabalhista, calculado por ele em torno de R$ 150 milhões. No total, a dívida da companhia alcança R$ 370 milhões.

" Gostaria de amortizar o passivo trabalhista, mas tenho de pagar as despesas correntes e cumprir com as determinações do Tribunal de Justiça de São Paulo " , afirma Laura. " Acho uma irresponsabilidade a liberação desse dinheiro " , diz Duque Estrada,

A ex-subsidiária de logística e transporte de cargas da Varig recebeu 6 milhões de ações da Gol, em meados de março de 2007, como parte do pagamento pela Varig, vendida por US$ 320 milhões. Esse total de papéis representa em torno de 9% das ações da Gol em circulação no mercado. A negociação das ações estava bloqueada pela justiça desde abril de 2008.

Antes disso, os ex-sócios brasileiros do fundo de investimentos Matlin Patterson, acionista da VarigLog, já haviam vendido 600 mil ações. O desbloqueio dos papéis foi obtido pela empresa no dia 10 de dezembro. Duque Estrada ajuizou dois recursos.

 

 

Site Panrotas
12/01/2010

Gol lança portal para contar seus nove anos de história

A Gol acaba de colocar no ar um website em comemoração ao seu aniversário de nove anos, que acontece nesta sexta-feira (dia 15). O portal Memória Gol é um canal com conteúdo histórico, criado pelo Centro de Documentação e Memória da aérea, para aproximar a companhia de pesquisadores, estudantes, entusiastas de aviação e outros passageiros.

“Daqui para frente, teremos um canal direto entre os públicos externos e a Memória Gol, proporcionando atendimento rápido e eficaz”, diz a coordenadora do Centro de Documentação e Memória da Gol, Clarissa Schmidt.

Na página de abertura do site, o internauta confere uma reprodução, fornecida pelo Planetário de São Paulo, do céu de Brasília no momento em que o primeiro voo da Gol decolava, em 15 de janeiro de 2001. A ideia do projeto é produzir uma experiência de participação: o visitante navega pelo portal a partir da cabine de comando de um Boeing 737-800 Next Generation, passando pelas diferentes seções à medida em que move o manete da aeronave para frente ou para trás.

O portal inclui ainda uma linha do tempo detalhada, dados estatísticos, informações sobre prêmios, responsabilidade social e inovações tecnológicas introduzidas no mercado pela empresa, além de fotos de cada aeronave operada pela Gol e pela Varig, além de uma coleção digitalizada completa da revista de bordo.

 

 

O Estado de São Paulo
12/01/2010

JAL pode demitir 15,6 mil empregados
Em crise, empresa aérea japonesa deve entrar em recuperação judicial
Associated Press

A empresa aérea Japan Airlines Corp, que passa por sérias dificuldades, deverá cortar 15,6 mil postos de trabalho, um terço da sua mão de obra, rejeitou ofertas de compra bilionárias da Delta e da American Airlines, e entrou com pedido de recuperação judicial e no programa do governo de reestruturação de empresas.

Com base no plano de reabilitação, que está sendo conduzido pelo órgão encarregado de uma recuperação de empresas, a JAL vai reduzir o número de funcionários num prazo de três anos fiscais, até março de 2013, informou a Kyodo News. O plano inclui um novo investimento de US$ 3,3 bilhões, e grande parte das dívidas da empresa aérea ficará sob proteção das leis de recuperação judicial.

As ações da JAL, que despencaram nas últimas semanas, devem deixar de ser negociadas em bolsa, segundo o jornal Asahi. Executivos da JAL, o ministério dos Transportes e o órgão de recuperação não foram localizados para comentar o assunto ontem, feriado nacional no Japão. A Bolsa também não funcionou.

O órgão governamental Enterprise Turnaround Initiative Corporation (Etic), rejeitou as ofertas de compra em dinheiro feitas pela Delta e American Airlines, pois teme que uma participação de empresas aéreas estrangeiras na companhia possa complicar a reestruturação. Em vez disso, a JAL deverá estreitar mais sua cooperação, tanto com a Delta como com a American, informou o jornal econômico Nikkei. O Etic escolherá uma das empresas como parceira da JAL depois de fevereiro, acrescentou o jornal.

A Delta e seus parceiros da SkyTeam ofereceram US$ 1 bilhão por uma participação na JAL, enquanto a American Airlines, que pertence à mesma aliança global de empresas aéreas da qual a JAL faz parte, apresentou uma contraoferta de US$ 1,4 bilhão.

A Japan Airlines pode entrar com pedido de recuperação judicial em 19 de janeiro, e o presidente da companhia, Haruka Nishimatsu deve renunciar ao cargo logo depois. Ainda segundo o jornal Nikkei, o governo e o Etic pediram ao fundador da fabricante de componentes eletrônicos Kyocera Corp., Kazuo Inamori, para assumir a direção da JAL durante o processo de reestruturação. Inamori deve responder ao pedido no fim da semana.

 

 

O Estado de São Paulo
12/01/2010

Avião da Trip faz pouso de emergência
FOZ DO IGUAÇU (PR)

Um avião da Trip Linhas Aéreas fez um pouso de emergência em Foz do Iguaçu, na noite de domingo. A pane em um dos motores da aeronave ATR-72, com 50 passageiros, aconteceu quando o piloto teve de arremeter durante o pouso. Apesar do susto, nenhum passageiro ou tripulante ficou ferido. O avião havia partido de Curitiba e seguia para Cascavel, mas, por causa do mau tempo, foi desviado para Foz.

 

 

O Globo
12/01/2010

Voo 1907 - Justiça anula absolvição de pilotos do Legacy em acidente da Gol
Carolina BrígidoReuters/Brasil Online

SÃO PAULO (Reuters) - O Tribunal Regional Federal (TRF) da 1a Região, em Brasília, anulou nesta terça-feira a absolvição dos dois pilotos norte-americanos do jato Legacy que se chocou com um avião da Gol em setembro de 2006, deixando 154 mortos. A absolvição havia sido determinada por um juiz de Sinop, no Mato Grosso, num julgamento em dezembro de 2008. Os pilotos Joseph Lepore e Jean Paul Paladino são acusados de negligência após o choque do Legacy com a aeronave da Gol.

Segundo o desembargador Cândido Ribeiro, relator do caso, há necessidade de se levantar mais provas, ouvir mais testemunhas e investigar-se mais profundamente o caso, informou o TRF.

Com a anulação da absolvição, o processo retorna para a primeira instância. Os advogados dos pilotos podem recorrer da decisão do TRF. No entanto, o juiz abriu processo para investigar os pilotos por outras três condutas: desrespeito ao comando do voo, desligamento do equipamento transponder e desatenção em relação ao funcionamento desse equipamento.

Os norte-americanos comandavam o jato Legacy que colidiu no ar com uma aeronave da Gol em 29 de setembro de 2006. O avião comercial caiu no norte de Mato Grosso, matando todos os 154 ocupantes. Os pilotos do jato executivo conseguiram pousar com segurança em uma base aérea no Pará.

(Por Hugo Bachega)

 

 

Valor Econômico
12/10/2010

Embraer fecha 2009 com recorde em entregas de aeronaves
Valor Online

SÃO PAULO - A Embraer entregou 244 aeronaves no ano passado, superando a meta estabelecida para o período, de 242 aviões, informou hoje a empresa de São José dos Campos (SP). O resultado excede em 19,6% as 204 unidades entregues em 2008 e representa um recorde para a empresa.

A fabricante de aeronaves detalha que, em 2009, 122 aviões foram entregues ao segmento de aviação comercial, 115 foram para a aviação executiva e sete unidades atenderam ao mercado de defesa. A empresa ainda informa que sua carteira de pedidos firmes a entregar fechou dezembro passado em US$ 16,6 bilhões, menor do que a carteira de US$ 20,9 bilhões de um ano antes.

Só no quarto trimestre de 2009, a Embraer entregou 91 aeronaves. Desse total, a maioria - 61 unidades - se refere à aviação executiva. No período, a companhia iniciou as entregas do jato executivo Phenom 300, da categoria light.

Outras 26 aeronaves foram para a aviação comercial e quatro jatos foram entregues ao segmento de defesa;

 

 

Valor Econômico
12/10/2010

Incidentes em aeroportos nos EUA indicam tensão após atentado fracassado
Melanie Trottman e Mike Esterl, The Wall Street Journal, de Washington

Os passageiros que usam aeroportos americanos foram afetados por pelo menos duas dúzias de incidentes de segurança desde o frustrado atentado a bomba num voo da Northwest Airlines que ia de Amsterdã a Detroit. Isso reflete uma nova fase de nervosismo e suscita questões sobre o potencial impacto que as interrupções podem ter sobre a aviação comercial.

No Aeroporto Internacional de Miami, um piloto da Delta Air Lines fez um avião que taxiava voltar à sanfona de embarque após um passageiro dizer que queria "matar todos os judeus", segundo relatório da polícia. Autoridades escoltaram o homem para fora do avião e várias testemunhas disseram que ele falava uma língua estrangeira, que se acreditava ser árabe, segundo o relatório. Assim que oficiais fizeram um rastreamento da aeronave, ela partiu sem incidentes.

O senador Frank Lautenberg divulgou uma parte do vídeo, gravado pela câmera de segurança, de um incidente no domingo no Aeroporto Internacional Newark Liberty, um dos três que servem à região de Nova York. As imagens mostram um homem passando por baixo de um cordão para entrar numa área de segurança sem passar pela vistoria. O vídeo mostra um guarda da Agência de Segurança do Transporte, ou TSA, deixando seu posto antes que o homem passasse.

Dias depois a polícia prendeu Haisong Jiang, de 28 anos, e o acusou de ser o homem que entrou ilegalmente na área de segurança. Ele teria entrado na área para encontrar sua namorada, que estava chegando de Los Angeles. Não foi possível contatar Jiang para comentar.

Lautenberg disse que divulgou o vídeo na esperança de que o homem fosse encontrado. Num comunicado, uma porta-voz da TSA disse que o vídeo "mostra claramento que as ações de um agente da TSA levaram ao incidente". Ela disse que a agência "usará essa dura lição para reforçar o foco e a disciplina rigorosa de todas as nossas estações em todo o país e garantir que mantenhamos a confiança do público". O agente foi suspenso.

Entre os outros incidentes, um material suspeito encontrado numa mala num aeroporto em Bakersfield, Califórnia, fez com que o terminal fosse fechado temporariamente, mas depois se descobriu ser apenas mel guardado em garrafas. Na quarta-feira, dois caças foram às pressas escoltar um avião de volta a Portland, no Oregon, depois que um passageiro fez ameaças e se recusou a seguir ordens dos comissários de bordo.

Várias empresas aéreas americanas e europeias informam que estão ainda se ajustando aos procedimentos de segurança intensificados deste mês nos voos aos EUA. As novas regras requerem que todos os passageiros que viajem aos EUA a partir ou via países designados como patrocinadores do terrorismo (ou outros países "de interesse") serão sujeitos a fiscalização maior, que incluem vistoria de todo o corpo, inspeção física da bagaem pessoal ou raio-X numa das 40 máquinas de inspeção avançada localizadas em 19 aeroportos americanos. Além disso, a maioria dos passageiros que voam de qualquer parte do mundo para os EUA serão agora submetidos a inspeção que usa medidas de segurança aprimoradas, informou a TSA.

Não está claro como os 24 incidentes que a TSA contabilizou se comparam com as semanas anteriores à tentativa de atentado no Natal. Um oficial da TSA disse que a agência não tinha números. Ele informou que a agência "leva toda ameaça muito a sério".

O que está claro é que os incidentes devem receber mais destaque na mídia após o atentado frustrado do que teriam antes. "Claramente, depois dos eventos de 25 de dezembro, há um maior foco na segurança da aviação, e portanto acho que as pessoas estão mais conscientes e atentas a qualquer evento" que possa causar um alerta num aeroporto, disse Christopher Bidwell, diretor de segurança do Conselho Internacional de Aeroportos. "Não acho que haja um aumento do número [de incidentes], mas apenas maior vigilância."

Associações setoriais e várias empresas aéreas americanas, como Delta, American e Continental, disseram na semana passada que é muito cedo para dizer se o atentado fracassado no Natal e as novas medidas de segurança mudarão o comportamento e as compras dos passageiros. Ed Stewart, porta-voz em Atlanta da Delta Air Lines, a maior companhia aérea do mundo por tráfego, disse que até agora não surgiu "nenhum tipo de sinal" sugerindo que os padrões de viagem tenham mudado. Mas "ainda é cedo demais" para tirar quaisquer conclusões, acrescentou.

Steve Lott, porta-voz da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), disse que os atrasos diminuíram desde logo depois do Natal, quando a fiscalização estava mais intensa, mas que as áreas de maior preocupação em relação a atrasos continuam sendo Europa e Canadá. Os passageiros, disse, "estão mais focados nas dificuldades do que preocupados com o terror nos ceus". Por isso, "executivos das aéreas estão bastante atentos a como essas regras afetam a confiabilidade delas e o fator dificuldade".

Página Principal