Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Sábado, 27 de Maio de 2017
11/08/2009

Notícias Anteriores

O Estado de São Paulo
11/08/2009

Boeing mostra interesse em parceria com a Embraer
Reuters

Um importante executivo da Boeing sinalizou ontem interesse da empresa de participar do desenvolvimento do cargueiro KC-390, que a Embraer está desenvolvendo a partir de um contrato com a Força Aérea Brasileira (FAB). O presidente da divisão de defesa da Boeing e vice-presidente-executivo da fabricante, Jim Albaugh, disse que a empresa pretende fazer negócios no Brasil independentemente do resultado de uma concorrência que selecionará os novos caças da FAB.

Ele afirmou ainda que já houve conversas entre representantes da Boeing e da Embraer sobre possíveis parcerias. "Sempre admiramos a Embraer e conversamos com eles sobre alguns projetos", disse Albaugh a jornalistas. Questionado sobre quais projetos teriam sido alvos dessas conversas, o executivo não quis entrar em detalhes, mas afirmou que "o KC-390 é um projeto que nós gostamos muito".

A Boeing, com seu caça F-18 Super Hornet, é uma das três finalistas do programa F-X2 da FAB, pelo qual a Força Aérea pretende adquirir 36 caças de multiemprego. Os outros dois finalistas são o caça Rafale, da francesa Dassault, e o Gripen NG, da sueca Saab. A decisão sobre o vencedor deve ser anunciada até o mês que vem.

Na semana passada, a Agência de Cooperação em Segurança Nacional dos Estados Unidos, ligada ao Pentágono, pediu aval do Congresso americano para a eventual venda dos Super Hornets ao Brasil, num negócio avaliado em US$ 7 bilhões. Albaugh, no entanto, procurou assegurar que a oferta entregue pela Boeing à FAB é de valor menor. "Posso garantir que nosso preço não é de US$ 7 bilhões", disse.

"Nosso governo é bastante cuidadoso em não permitir que nossos concorrentes saibam nosso preço", justificou. Apesar disso, ele se recusou a revelar valores da proposta entregue ao governo brasileiro.

SUBSTITUTO DO HÉRCULES

FAB e Embraer assinaram o acordo de US$ 1,3 bilhão para o desenvolvimento do KC-390 em abril. A expectativa é que as Forças Armadas comprem 22 unidades do novo avião, que substituirá os C-130 Hércules, fabricados pela americana Lockheed.

A linha de montagem e os dois primeiros protótipos devem estar prontos em sete anos. A Embraer estima o mercado externo total de cargueiros em 700 unidades num período de 15 anos, dos quais a fabricante brasileira espera deter um terço, o que significaria exportações de US$ 18 bilhões.

 

 

Folha Online
11/08/2009 - 18h49

Alarme de avião da Trip dispara e assusta passageiros após homem fumar em banheiro

Cerca de 20 passageiros que estavam no voo 5608 da Trip Linhas Aéreas, que seguia do Rio de Janeiro para Campo Grande (MS), tiveram um susto na manhã desta terça-feira quando o sistema anti-incêndio do avião disparou durante o trajeto.

De acordo com a companhia aérea, o alarme que alerta para a existência de fumaça dentro da aeronave --um Embraer 175-- foi acionado quando um passageiro acendeu um cigarro dentro do banheiro, o que é proibido.

Após o incidente, o avião pousou por volta das 12h15 em São José do Rio Preto (a 438 km de São Paulo) --onde faria escala-- e foi encaminhado para uma manutenção preventiva.

A Trip informou que os passageiros foram remanejados para outro voo para seguir viagem. Ainda segundo a companhia, o incidente foi notificado à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Não há informações sobre o que ocorreu com o passageiro que fumou após o incidente.

 

 

Valor econômico
11/08/2009

Boeing negocia acordo com a Santos Lab
Marli Olmos, de São Paulo

As constantes visitas dos executivos dos fabricantes de aeronaves que estão participando do processo de seleção da empresa que fornecerá o próximo caça da Força Aérea Brasileira começou a render novos negócios para empresas que atuam no Brasil.

Segundo o vice-presidente executivo da Boeing e presidente e divisão de defesa da companhia americana, Jim Albaugh, além da Embraer, a Boeing tem conversado com a Santos Lab, uma empresa do Rio de Janeiro.

A Santos Lab é uma companhia nacional que desenvolve e fabrica as chamadas aeronaves não tripuladas. Vende para clientes nos setores militar e civil. O nome Santos é uma homenagem a Santos Dumont. Localizada em Campo Grande, na zona oeste do Rio, a empresa anunciou recentemente um investimento de R$ 2,5 milhões para ampliar a fábrica.

O executivo da Boeing não forneceu detalhes. Disse apenas que a empresa está interessada nas aeronaves que a Santos Lab produz semelhantes ao Scan Eagle, produzido pela própria Boeing.

Albaugh destacou, ainda, que a Boeing "gostou muito" do KC-390, um novo cargueiro da Embraer projetado para modernizar as Forças da Aeronáutica e Marinha do Brasil.

Albaugh esteve ontem em São Paulo. Ele disse que esta é a sua terceira visita ao Brasil este ano. O executivo veio acompanhado de toda a equipe que trabalha na negociação com o governo. A francesa Dassault e a sueca Saab estão na mesma disputa. A Boeing diz que já assinou termos de compromisso com 27 fabricantes de componentes do Brasil. O governo brasileiro deve concluir a escolha até o início do próximo mês.

Página Principal