Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quinta-Feira, 27 de Abril de 2017
09/01/2009
Notícias Anteriores

Estadão
09/01/2009 - 22:56h

Boeing anuncia corte de 4,5 mil empregos
Empresa deverá voltar a ter o mesmo número de
funcionários que tinha no início de 2008 - 63,5 mil trabalhadores

Fabio Michel- estadao.com.br

WASHINGTON - A fabricante de aviões norte-americana Boeing anunciou nesta sexta-feira que irá eliminar 4.500 postos de trabalho no departamento de aviões comerciais, medida que os responsáveis consideram essencial para enfrentar a grave crise financeira mundial. A informação foi publicada no site da empresa e pelas agências internacionais.

A Boieng, que em 2008 chegou a contrariar a tendência de demissões do setor desde o inicio da crise e contratou em média 55 trabalhadores por semana, deverá voltar a ter o mesmo número de funcionários que tinha no início de 2008 - 63,5 mil trabalhadores.

O presidente da Boeing, Scott Carson, explicou que a medida pretende "garantir que a Boeing se mantenha bem posicionada no ambiente econômico difícil da atualidade".

A noticia dos despedimentos surge no mesmo dia em que o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos anunciou que, durante 2008, cerca de 2,6 milhões de pessoas perderam os seus empregos nos EUA, os piores números desde o final da 2ª Guerra Mundial.

 

 

Folha de São Paulo
09/01/2009

Anac culpa Gol e Webjet por aumento nos atrasos de voos
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) culpou ontem as empresas Gol/Varig e Webjet pelo aumento do índice de atraso de voos, que em dezembro chegou a 22%.

A média de atraso nas partidas em 2008 ficou em 17,5%, diz a agência. As chuvas foram o segundo fator citado pela Anac para justificar a piora em dezembro.

Desde o início dos atrasos nos aeroportos, pouco antes do Natal, a Anac apontou a Gol/Varig como a principal responsável pelos voos fora do horário previsto. Chegou a anunciar multa para a companhia e estabeleceu prazo para que a empresa regularizasse o tempo de atendimento, sob a ameaça de cancelamento de voos e suspensão de novas autorizações.

Questionada ontem pela Folha, a agência preferiu não comentar especificamente os resultados da Operação Feliz Natal 2009.

A Gol informou que trabalha "incansavelmente" para regularizar o horário dos voos. A Webjet, que tem no aeroporto de Confins (MG) um dos principais pontos de escalas e conexões, disse que as chuvas no Estado provocaram atrasos em decolagens e até a impossibilidade de pousos na cidade, com efeito cascata.

 

 

Coluna Claudio Humberto
09/01/2009

Associação cria movimento contra a Anac

A Associação Brasileira de Ultraleves iniciou um movimento nacional, que pede a participação de todos beneficiados pela aviação civil no País, exigindo a melhoria dos serviços prestados pela Agência Nacional de Aviação Civil. A primeira demanda do movimento é a revisão do prazo de registro de aeronaves e transferências de propriedades, que demoram meses. Também exigem fiscalização mais célere por parte da Anac.

 

 

Mercado e Eventos
09/01/2009
Nesta quinta-feira, Air France-KLM entra no capital da Alitalia
Postado por Ricardo Della Coletta

A companhia de bandeira italiana deverá vender, nesta sexta-feira, 25% das suas ações ao grupo franco-holandês Air France-KLM, um negócio que ronda os 300 milhões de euros. Os representantes do consórcio que forma a CAI (Companhia Aérea Italiana, que por sua vez comprou a Alitalia), deverão decidir hoje a entrada de um investidor estrangeiro, segundo contaram fontes próximas do negócio ao Hosteltur.

Havia ainda outro interessado no negócio: a Lufthansa, que exprimiu a sua vontade de unir forças com a sua homóloga italiana, mas nunca chegou a apresentar uma oferta formal.

Já o acordo com a Air France-KLM prevê que o grupo franco-holandês tenha direito a três pessoas no conselho de administração, que no total terá 19 elementos.

ELFAA apresenta queixa à Comissão Européia

Entretanto, a ELFAA (Associação de Companhias Aéreas de Baixo Custo, segundo sigla em inglês), apresentou ontem uma queixa forma à Comissão Européia, contra as ajudas estatais à Alitalia.

Em causa está o fato da sucessora da Alitalia (CAI) beneficiar de ajudas anuais no valor de cem milhões de euros, durante os próximos sete anos, graças ao decreto aprovado pelo executivo de Berlusconi que em agosto de 2008 alterou a lei relativa às falências, de forma a poder injetar algum dinheiro na companhia aérea.

 

 

O Globo
09/01/2009


Página Principal