Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quarta-Feira, 26 de Abril de 2017
07/01/2009
Notícias Anteriores

Folha de São Paulo
07/01/2009

Avião monomotor com três pessoas desaparece no Rio
DA SUCURSAL DO RIO

Um avião monomotor prefixo PT-JKU está desaparecido desde o dia 30 de dezembro na região da serra da Concórdia, no sul do Estado do Rio de Janeiro.

O empresário mineiro, Antonio Pereira da Mata, 64, que pilotava o avião, a mulher dele Ireni Maria Barbosa Pereira, 59, e a filha, Elisa Maria Pereira, 36, saíram do aeroporto Carlos Prates, em Belo Horizonte, às 9h59, para o aeroporto de Jacarepaguá. Eles comemorariam o Réveillon no Rio.

Segundo a Aeronáutica, estão sendo feitas buscas na serra que separa Valença (a 150 km do Rio), Vassouras (a 116 km) e Barra do Piraí (a 119 km), onde houve o último contato por rádio do avião.

 

 

Folha de São Paulo
07/01/2009

Aeronáutica investiga queda de helicóptero no interior de SP
DA REPORTAGEM LOCAL

A Aeronáutica investiga as causas da queda de um helicóptero anteontem em Itupeva, a 75 km de SP, que matou o empresário Gilberto Botelho Ramalho, 66, dono de um dos maiores estaleiros de lanchas de luxo do Brasil.

O helicóptero Augusta vinha de Paraty (RJ) para uma fazenda em Itupeva e caiu durante o pouso. O empresário não conseguiu sair da aeronave e morreu quando ela pegou fogo. Os outros tripulantes se salvaram.

A mulher do empresário, Marisa Klink Ramalho, sua filha, Roberta Ramalho, 15, o piloto Mauro Honório da Silva, 47 e o copiloto Chao Feng Júnior, 36, permaneciam internados no hospital Albert Einstein até ontem.

 

 

O Estado de São Paulo
07/01/2009

Fim de ano teve menos atrasos
Apesar da problemas com Gol/Varig, índice foi melhor do que em 2007
Bruno Tavares

Apesar dos transtornos enfrentados por passageiros da Gol/Varig na semana do Natal, a chamada Operação Feliz 2009 nas aeroportos brasileiros registrou um porcentual de atrasos inferior ao do mesmo período de 2007/2008. Entre os dias 19 de dezembro e 4 de janeiro deste ano, cerca de 20% dos voos programados decolaram ou pousaram com atrasos superiores a 30 minutos. No verão passado, a média ficou em 26%. O levantamento preliminar confirma ainda que a Gol/Varig foi a principal responsável pela melhora inexpressiva do índice geral de atrasos no País.

Se os números da companhia deixassem de ser computados, a média nacional de atrasos cairia para cerca de 14%, um dos níveis mais baixos de 2008, atrás apenas de agosto (13,6%), setembro (10,5%) e outubro (12,5%). Os problemas administrativos da empresa começaram em novembro, durante o processo de fusão entre a Gol e a Varig, o que inclui malha aérea, frota de aeronaves, sistemas de check-in e despacho, além de pessoal. Com o aumento natural da demanda nos dias que antecedem as festas de fim de ano, o índice de atrasos ultrapassou os 50%.

Em 26 de dezembro, após quase uma semana de caos para passageiros da companhia, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) convocou uma reunião de emergência e fixou datas para que os “problemas gerenciais” identificados - como a não unificação do sistema de check-in e tempo de solo das aeronaves superior ao previsto - fossem solucionados. A integração do sistema de check-in tem de estar pronta até o dia 18. A revisão do tempo gasto nas operações de solo nos aeroportos do Galeão (RJ) e Brasília (DF) deve ser concluída em 26 de janeiro.

Embora a diretora presidente da agência tenha ameaçado suspender e até cancelar voos da Gol/Varig, a punição nesses casos é difícil. O Código Brasileiro de Aeronáutica, de 1986, só permite autuações por atrasos acima de 4 horas. Ontem, às 23 horas, o porcentual de atrasos chegou a 50,5% no Galeão, por causa de problemas meteorológicos no Rio. Os índices da Gol e Varig eram os mais elevados - 39,9% e 28,9%, respectivamente.

A Gol/Varig informou que continua “acompanhando de perto o problema dos atrasos” e que o cronograma de unificação dos sistemas está sendo cumprido.

 

 

Mercado e Eventos
07/01/2009

Combustível de avião começa o ano 47,2% abaixo do preço inicial de 2008

A tonelada de combustível de avião custava na última semana US$ 482,2, menos 47,2% que um ano antes, de acordo com o Índice Iata do Jet Fuel, calculado com base em dados dos Platts. O valor indicado pelo índice, embora 13% mais elevado que uma semana antes, mostra uma queda em 66,1% ou US$ 942,3 face ao máximo absoluto atingido na semana de 4 de julho (US$ 1.424,5) e, inclusivamente, é 14,2% inferior à cotação dada para a primeira semana de 2007 (US$ 561,7).

A informação da Iata especifica que a cotação mais baixa na semana terminada em 2 de janeiro foi na região Médio Oriente e África, com US$ 445,7 por tonelada métrica, vindo depois a Europa, com US$ 461,3, e Ásia e Oceânia, com US$ 462,8.

Preços acima dos US$ 500 verificaram-se na América do Norte (US$ 509,4) e América Central e do Sul (US$ 536,1). Estas foram as duas regiões onde se verificaram os maiores agravamentos face à semana anterior, em 23,9% e 23,5%, respectivamente.

A América do Norte é a região com mais peso no Índice (39%) e a América Central e do Sul a que tem menor peso (4%). Na Europa, segunda região com mais peso (28%), o aumento na semana foi em 6,7%, na Ásia e Pacífico (22% do Índice) foi em 3,5% e na região Médio Oriente e África (7% do Índice) foi em 5,2%. Apesar desta evolução mais recente, em todas as regiões os preços estiveram abaixo dos valores um mês e um ano antes.

A Europa é a que tem a maior queda, em 9,9%, seguida de Médio Oriente e África (-6,9%), América Central e do Sul (-4,2%), Ásia e Oceânia (-4%) e América do Norte (-2,4%). Em relação aos preços um ano antes, as maiores descidas ocorrem na Europa e Médio Oriente e África, em ambos os casos em 49,7%, seguidas de Ásia e Oceânia, com –49%, América do Norte, com –44,7%, e América Central e do Sul, com –40%.

 

 

Mercado e Eventos
07/01/2009

Tam mantém pontualidade no período de festas de fim de ano

A Tam Linhas Aéreas obteve, durante o período das festas de fim de ano, o maior índice de pontualidade no total dos vôos domésticos operados pelas companhias aéreas brasileiras, de acordo com levantamento realizado pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). Entre os dias 19 de dezembro e 4 de janeiro, a companhia apresentou 87,5% de pontualidade. Manteve, assim, a condição de empresa mais pontual, segundo índices divulgados pela Anac (média mensal de 85,8% de janeiro a outubro de 2008).

"Assim como no ano anterior, mantivemos durante o período de festas uma boa estrutura montada para o atendimento aos nossos clientes, visando a atender com ainda maior eficiência à demanda dos feriados de fim de ano, quando o número de viagens cresce no país", afirma o presidente da Tam, comandante David Barioni Neto.

Entre os dias 17 de dezembro e 5 de janeiro, a Tam manteve cinco aviões de reserva posicionados diariamente em aeroportos estratégicos: dois em Congonhas (SP), dois em Cumbica (Guarulhos) e outro no Tom Jobim (Galeão/RJ) para eventuais necessidades de cobertura.

A companhia contou ainda com equipes reservas de tripulantes técnicos (pilotos e co-pilotos) e de cabine (comissários) nos aeroportos de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, e com reforço na manutenção de aeronaves. Em média, cerca de 430 profissionais fizeram plantão por dia, além dos já escalados para a operação regular. Adicionalmente, a empresa ampliou o pessoal de check-in, check-out, embarque, comercial, cargas, lojas, supervisão e gerência nos principais aeroportos do país.

Página Principal