Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Segunda-Feira, 16 de Outubro de 2017
02/02/2009
Notícias Anteriores

Site Midia.com News
02/02/2009

Juizado da Bahia deve suspender execução contra a Varig e restituir a Gol

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Cesar Asfor Rocha, determinou que o Juizado Especial Cível e Defesa do Consumidor de Juazeiro, na Bahia, suspenda uma execução em andamento contra a Varig S/A e devolva à companhia aérea Gol valores que foram bloqueados e depois transferidos para uma conta judicial. A continuidade dessa execução descumpre uma decisão do STJ tomada anteriormente.

Em junho de 2008, o ministro Ari Pargendler, atual vice-presidente do STJ, ao julgar um conflito de competência, concedeu liminar à Varig para suspender a execução em trâmite no juizado de Juazeiro e designar o juiz de Direito da 1ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro para decidir as medidas urgentes.

Neste ano a Gol recorreu ao STJ, alegando que o juizado de Juazeiro descumpriu a decisão do ministro Ari Pargendler. Afirmou que o magistrado da Bahia deferiu a reativação da execução, determinou o bloqueio on-line de valores nas contas da Gol e a transferência desses valores para uma conta judicial. A companhia aérea pede o imediato desbloqueio das contas e a restituição do dinheiro transferido.

O ministro Cesar Rocha constatou que o juízo de Juazeiro foi comunicado sobre a decisão do ministro Ari Pargendler e que, em 5/8/2008, prestou informações ao STJ de que havia proferido despacho para suspender a execução. A petição da Gol contém cópias de documentos demonstrando que o pedido de reativação da execução foi feito em 18/11/2008 e o deferimento ocorreu em 4/12/2008.

Diante desses fatos, o ministro Cesar Rocha concluiu que a execução está em andamento e determinou que a decisão anterior do STJ seja cumprida, com o cancelamento de medidas eventualmente praticadas em sentido contrário ao foi decidido pelo ministro Ari Pargendler.

 

 

Site Cidade Verde.com
02/02/2009

Ave entra em turbina e faz avião voltar ao aeroporto
Vôo da Gol seguiria para para São Paulo. Passageiros devem sair de Teresina só na madrugada.

Uma ave, possivelmente um urubu, fez com que o vôo 1659 da Gol, que saiu de Teresina em direção a São Paulo na tarde deste domingo (1º) retornasse ao aeroporto Petrônio Portella menos de uma hora depois. O animal entrou em uma das turbinas da aeronave e forçou o avião a descer para avaliação. Não houve maiores problemas na aterrissagem, mas ficou o transtorno de quem irá se atrasar no seu destino.
Matérias relacionadas

O vôo decolou às 15h34min, segundo o site da Infraero. Pouco tempo depois, passageiros ouviram um estrondo. O comandante da aeronave anunciou que uma ave teria entrado na turbina direita do avião. "Era a turbina do meu lado da janela. Ele disse que estava tudo bem, mas teria de pousar para avaliação", relatou Elizeu Santos Neto, que seguirá para fazer residência médica em São Paulo.

Não houve explosão ou qualquer dano maior na aeronave, que teve de sobrevoar Teresina por cerca de 40 minutos para queimar combustível. Após a aterrissagem, todos os passageiros desembarcaram para realizar o check-in novamente. Alguns temem perder as conexões com outros vôos, e até o momento ninguém foi informado sobre quando o vôo deve deixar Teresina novamente.

Dezenas de passageiros estão no saguão do aeroporto refazendo o check-in e aguardando informações. Funcionários da Infraero não quiseram falar sobre o caso.

O risco provocado pela presença de urubus nos lixões próximos ao aeroporto já foi denunciado por diversas vezes. Em janeiro, um avião teve de fazer um pouso forçado na água nos Estados Unidos por conta de uma ave que entrou em uma das turbinas.

Familiares dos passageiros começaram a retornar ao aeroporto para acompanhar o desfecho do embarque. A última informação é de que a Gol estaria providenciando uma outra aeronave para embarcar todos ainda na noite deste domingo. O próximo vôo da empresa vem de Fortaleza/CE por volta de 1h, mas já está lotado.

 

 

Valor Econômico
02/02/2009

Recompra de ações

A TAM anunciou na sexta-feira a aprovação de um programa de recompra de ações preferenciais de emissão da companhia para manutenção em tesouraria e posterior cancelamento ou alienação, sem redução de capital. A aquisição respeitará o limite de até 3.596.629 ações preferenciais, com prazo máximo para a recompra de 365 dias, a contar do último dia 30. A operação será feita no pregão da Bovespa, a preço de mercado. Hoje, há 75.771.343 ações de emissão da TAM em circulação no mercado. UBS Pactual e Credit Suisse são as instituições autorizadas.

 

 

Mercado e Eventos
02/02/2009

Gol lança nova classe econômica

A companhia aérea Gol/Varig lançou a nova classe econômica Comfort. O objetivo da classe é proporcionar mais conforto, privacidade e agilidade durante viagens à bordo de seus aviões. Disponível nas rotas internacionais para Bogotá, Buenos Aires, Caracas e Santiago do Chule, com saídas de São Paulo e Rio de Janeiro.

À bordo é possível encontrar maior espaçamento entre as poltronas e mais privacidade, visto que 16 assentos por aeronaves são destinados a esta classe. Cardápios balanceados, material de leitura exlusiva fazem parte do serviço de bordo da Comfort Classe. Para entretenimento individual a companhia disponibiliza o Personal Entertrainment Appliance (PEA) com uma programação exclusiva que inclui filmes, séries, música, jornais e jogos eletrônicos.

 

 

Coluna Claudio Humberto
02/02/2009

Voa, Lula, voa...

A Presidência da República recebe este ano dois aviões Embraer 190. Vão substituir os Boeings 737, conhecidos como sucatinhas.

 

 

Coluna Claudio Humberto
02/02/2009

Liberação no ar

A Agência Nacional de Aviação Civil realiza dia 11 de fevereiro audiência pública para tratar de um assunto que as aéreas não gostam nem de ouvir falar: a liberação de tarifas para vôos internacionais. A proposta da agência é acabar com o preço mínimo para viagens ao exterior até 2010.

 

 

Coluna Claudio Humberto
02/02/2009

TAM: desrespeito e overbooking documentdo

Olá!! Tínhamos (eu, marido, filho de 8 e outro de 3 anos) um vôo 9355 de volta, pela TAM, às 18h, Miami-SP. Só que uma dia antes eles cancelaram um vôo destes e recolocaram os passsageiros no nosso vôo. Mas durante as quase 6 horas que ficamos lá a mentira (o sistema caiu, que era certo de embarcarmos horário etc) era tão grande. Ofereceram pra mim um vôo com meus filhos, um em cada canto! Me pagaram um hotel (sono de 4 horas) e viemos no dia seguinte. Mas nos deram um papel para apresentar no hotel ticado overbooking - tenho cópia.

Margareth de Oliveia Rezende Roque
Aparecida (SP)

 

 

Coluna Claudio Humberto
02/02/2009

Olhar cotidiano: cemitério de aviões



Em alguns aeroportos brasileiros, aviões de companhias falidas enferrujam a céu aberto, sob o sol e a chuva. Brasília, janeiro de 2009.

Como foi – Muitas vezes o olhar da gente perde a capacidade de empregar a devida importância a algo que parece tão banal. Antes da decolagem, enquanto o Boeing taxiava, eu ouvia o diálogo do menino com o pai e mãe nas poltronas à minha frente. O garoto tinha aquela idade em que se pergunta tudo. Devia ser a sua primeira viagem de avião, pois mostrava-se maravilhado desde a sala de embarque. Tinha curiosidade em tudo sobre aviões. A altitude que atingem, a quantidade de assentos, de onde vem a comida, onde fica o piloto, etc. Por fim, quis saber do pai, qual “a coisa mais cara do mundo”. Provavelmente para manter o filho dentro do assunto, o pai respondeu que era um avião.

Nesse exato momento, eu olhava pela janela vários jatos da Vasp e da Transbrasil aterrados ao relento, próximos à cabeceira da pista. Fiquei imaginando quantas vezes eu mesmo devo ter voado em um deles Boeings nas incontáveis coberturas. Agora jaziam ali, resultado do fracasso de suas empresas proprietárias, por gestões incapazes, fraudulentas, incompetentes. Foi preciso a ingênua pergunta do curioso menino para corrigir a desatenção do meu olhar. Orlando Brito.

 

 

Radio Fandango.com
02/02/2009

Comandante Wagner e sepultado com muita comoção

O piloto Wagner Patta foi sepultado as 18 horas deste sabado no cemiterio municipal com muita comoção, na presença de familiares,alem varios amigos e colegas de toda a parte.O corpo do aeronauta chegou a Cachoeira por volta das 11 da manha e foi velado na capela Madre tereza,na rua Ivo Becker, com homenagens dos familiares e amigos. Wagner Patta ,33 anos morreu tragicamente ontem, quando o aviao agricola prefixo PT-TRA que pilotava colidiu com uma rede eletrica vindo a explodir.Socio da Empresa TERRA AVIACAO AGRICOLA, era responsavel pela filial em Cruz Alta e no momento do acidente, fazia aplicacao de herbicida em uma lavoura de soja

O profissional - Formado em ciencias aeronauticas pela PUC, Patta foi comandante da Varig, e acumulava mais de 4000 horas de voo em 15 anos de profissão, chegando a trazer em voo um cessna dos Estados Unidos.

A despedida - O momento mais emocionante ficou por conta de cinco aeronaves agricolas , que sobrevoaram o cemiterio, onde uma uma delas soltou uma fumaca branca, e ao partirem em fila , jogavam-se de um lado para outro , como se dessem adeus ao comandante, que foi lembrado por varios colegas como grande profissional e amigo.

Júlio Kämpf, socio e tambem presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola,muito consternado disse que o Cessna, tinha passado por uma Inspeção anual de Manutenção,e salientou que as redes de eletrificação rural sao um perigo constante para os pilotos..
– Os pilotos são muito bem treinados, mas a aviação agrícola está sujeita a acontecimentos como esse. As redes de eletrificação rural são um obstáculo para a atividade. Lamentamos profundamente esse acidente – disse Kämpf.

 

 

O Estado de São Paulo
31/01/2009

Aéreas contestam Anac sobre alta nas tarifas
MARIANA BARBOSA

As empresas aéreas consideraram "maldosa" a metodologia utilizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em estudo que mostra que as passagens aéreas subiram 36% em 2008. "A metodologia é maldosa, não reflete as operações e não coincide em nada com o padrão utilizado pelo setor no Brasil e no mundo", afirmou o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea), José Márcio Mollo. Para o Snea, o aumento corrigido de tarifas em 2008 foi de 11,7%.

No estudo divulgado na terça-feira, a Anac identificou que o yield médio (quanto o passageiro paga por quilômetro voado) foi de R$ 0,61 de janeiro a novembro - alta de 36,15% sobre 2007 e queda de 2% sobre 2002. Para o Snea, o yield de TAM e Gol de janeiro a setembro foi deR$ 0,258 - com alta de 11,7% ante 2007 e queda de 35,9% sobre 2002. O Snea contesta o fato de o estudo focar em 61 rotas de uma seleção feita em 2004. "São rotas ponto a ponto, quando 30% dos voos hoje são de conexão, que tentem a ter yields menores", diz Mollo.

A diferença nos yields se explica pelo fato de a Anac ter considerado apenas tarifas oferecidas no varejo aos passageiros. Foram desconsideradas outras fontes de receita, como o mercado corporativo. O Snea critica o fato de a Anac ter corrigido os números pelo IPCA de dezembro, quando, acredita, deveria ter usado o IPCA médio do ano.

 

 

Diário de Taubaté
31/01/2009

Coronel Ozires Silva participa de aula inaugural na Escola de Aeronáutica

Com a presença de autoridades civis e militares, de universitários, empresários e alunos, a EMCA (Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas), de Taubaté, iniciou suas atividades letivas de 2009 na noite da última quinta-feira, dia 29. Na ocasião, houve recepção aos novos alunos e uma palestra proferida pelo Coronel Ozires Silva, que já foi ministro da Infraestrutura, presidente da Embraer e da Varig.

Na ocasião, Ozires Silva falou sobre o empreendedorismo, tendo como objetivo despertar nos alunos uma visão das imensas possibilidades que existem no mundo atual, onde não existem fronteiras em qualquer segmento, mas para isso é necessário que ocorra uma boa educação, com escolas de qualidade e que qualifiquem os alunos a alcançarem seus objetivos.

Tendo como diretor o coronel Lacerda Machado a EMCA conta com 128 alunos e pertence a Prefeitura de Taubaté, tendo como finalidade principal a formação de técnicos de manutenção aeronáutica, nas habilitações aviônica, célula e grupo motopropulsor. O curso tem a duração de dois anos, divididos em duas turmas: módulo básico (1º ano) e módulo especializado (2º ano).

Página Principal